Malaquias 3.13 a 15 – De que lado você está? parte 1

DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ? – Parte 1

 

Malaquias 3.13-18

13 “Vocês têm dito palavras duras contra mim”, diz o Senhor. “Ainda assim perguntam: ‘O que temos falado contra ti? ’

14 “Vocês dizem: ‘É inútil servir a Deus. O que ganhamos quando obedecemos aos seus preceitos e andamos lamentando diante do Senhor dos Exércitos?

15 Por isso, agora consideramos felizes os arrogantes, pois tanto prospera o que pratica o mal como escapam ilesos os que desafiam a Deus! ’ ”

16 Depois aqueles que temiam ao Senhor conversaram uns com os outros, e o Senhor os ouviu com atenção. Foi escrito um livro como memorial na sua presença acerca dos que temiam ao Senhor e honravam o seu nome.

17 “No dia em que eu agir”, diz o Senhor dos Exércitos, “eles serão o meu tesouro pessoal. Eu terei compaixão deles como um pai tem compaixão do filho que lhe obedece.

18 Então vocês verão novamente a diferença entre o justo e o ímpio, entre os que servem a Deus e os que não o servem.

 

GRANDE IDEIA: Deus mostra a diferença entre o justo e o ímpio e promete misericórdia aos que o servem.

 

INTRODUÇÃO:

 

O livro de Malaquias é mais atual que nunca! Parece falar aos cristãos de nosso tempo! Parem de brincar de crentes! Parem de fingir que servem a Deus! Quase posso ouvi-lo gritando pelas ruas de nossa cidade, nos convidando ao arrependimento.

O tempo que vivemos é marcado pelo discurso da teologia da prosperidade que promete o mesmo que o mundo sem Cristo deseja e canta todos os anos: “Adeus ano velho, feliz ano novo, que tudo se realize no ano que vai nascer, muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender”.

A filosofia mundana se agarra no coração dos que se autodenominam cristãos e os fazem ceder às tentações do mundo.

Malaquias pregava para um povo com o mesmo coração endurecido de nosso tempo. Pregava para um povo com os mesmos desejos do nosso tempo.

Neste livro, Deus nos adverte que não adianta querer o benefício dos fiéis se somos infiéis. Não adianta querer as bênçãos dos justos se agimos ou nos tornamos como os ímpios.

O texto de hoje nos mostra a diferença entre o justo e o ímpio, os que servem a Deus e os que não o servem. Vamos ver?

 

  1. O ímpio, segundo Deus.
    • Afronta a Deus com suas palavras.

13 “Vocês têm dito palavras duras contra mim”, diz o Senhor. “Ainda assim perguntam: ‘O que temos falado contra ti? ’

A condição da pessoa rebelde a Deus é marcada pelo seu atrevimento. Como não reconhece a soberania do Senhor, tal pessoa falam com Deus e sobre Deus com palavras pesadas e impróprias. São aquele tipo de gente, que Salmo 1.1 chama de “roda de escarnecedores”.

Negaram que o que Deus havia dito no passado era verdade. Eles chamam Deus de mentiroso. Tentam colocar Deus no paredão. Eles blasfemam, ou seja, falam mal do Senhor.

Quem nunca ouviu falar daqueles que estão decepcionados ou zangados com Deus. Jesus afirmou que a boca fala daquilo que o coração está cheio (Mt 12.34), o que significa dizer que os que zombavam ou falavam mal de Deus, já estavam com seus corações distanciados dele. E esta condição de distanciamento de Deus resulta em outra característica marcante:

  • Tem a mente cauterizada e insensível.

13 “Vocês têm dito palavras duras contra mim”, diz o Senhor. “Ainda assim perguntam: ‘O que temos falado contra ti? ’

Ainda no verso 13, podemos ver que aqueles homens não reconheciam que suas falas eram pecaminosas. Chegaram a um nível muito baixo. Estão completamente afundados no lodo de seus pecados. Quando o homem está cada dia mais piorando em sua vida espiritual ele fala coisas pesadas, ofensivas contra Deus e não mais se dá conta de seus erros. Eles não conseguem mais perceber sua condição pecaminosa, o pecado não mais os aflige. A condição desses é muito difícil. Se não for alcançado pela graça, o resultado será destruição.

  • É incapaz de reconhecer a providência de Deus.

14 “Vocês dizem: ‘É inútil servir a Deus. O que ganhamos quando obedecemos aos seus preceitos e andamos lamentando diante do Senhor dos Exércitos?

Uma das coisas que o pecado faz na vida do homem é rouba-lhe o discernimento. O homem peca porque aceitou a ilusão como realidade. A mentira parece verdade. Infelizmente aqueles israelitas cultuavam a Deus por interesses outros que não a glória de Deus. Eles diziam é “inútil servir a Deus”. Mas porque para eles, era inútil? Porque suas intenções não buscavam a glória do Senhor. Eles queriam coisas para si mesmos. Por isso perguntam: “. O que ganhamos quando obedecemos aos seus preceitos e andamos lamentando diante do Senhor dos Exércitos?”. Esta frase, por si só revela muito do coração destes homens. Eles cultuavam ao Senhor esperando benefícios particulares. Meus irmãos, estamos diferentes hoje?            Quantos estão nas igrejas buscando as bênçãos de Deus, mas não o Deus das bênçãos? Quantos ainda estão nesta igreja porque estão aguardando algum milagre, mas não porque amam a Jesus e querem servi-lo pelo que ele é. Uma realidade muito triste é quando a religião de alguém se torna apenas um negócio. Estas pessoas da passagem corromperam o culto. Não viam vantagem em servir a Deus, porque não conseguiam obter lucro com o serviço.

Irmãos, nós devemos servir a Deus por ele ser Deus, não pelo que ele pode nos dar. Certa vez fui pastorear uma igreja em que um homem havia sido batizado. Depois de alguém tempo ele pediu para falar comigo no gabinete. Estava chateado pois tinha um comércio e ninguém da igreja estava comprando com ele. Conversando um pouco, ele confessou: Eu me tornei membro da igreja porque achei que ia aumentar meus clientes. Que os irmãos comprariam no meu comércio, mas já que não estão comprando eu vou sair. Que vida miserável e triste a daquele homem. Dentro da igreja, membro dela, batizado, mas tão distante de Deus.

  • Sua vida espiritual é marcada pela aparência pela falsidade de seus interesses.

14 “Vocês dizem: ‘É inútil servir a Deus. O que ganhamos quando obedecemos aos seus preceitos e andamos lamentando diante do Senhor dos Exércitos?

Quando o membro da igreja está buscando apenas atender seus desejos, ele até realiza grandes obras espirituais, mas Deus não é o foco, e portanto, tais obras não produzem glória para o Senhor e não traz bênçãos. É assim que gera-se todos os dias um monte de membros de igrejas que não amam nem conhecem Cristo, sua palavra, sua igreja. Pedem para ser membros, mas sequer estão aqui conosco. Fingem coração quebrantado, mas apenas quando necessitam de algo.

Aqui me lembro das palavras de Paulo em 2 Tm 3.4,5 “4. Traidores, inconsequentes, orgulhosos, mais amigos dos prazeres do que amigos de Deus, 5 com aparência de piedade, todavia negando o seu real poder. Afasta-te, portanto, desses também”.

1.5. Exalta a felicidade passageira dos pecadores.

15 Por isso, agora consideramos felizes os arrogantes, pois tanto prospera o que pratica o mal como escapam ilesos os que desafiam a Deus! ’ “

Que visão distorcida da realidade da vida! O pecado fez com que tais homens valorizassem os mundanos e condenados ao inferno como sendo aqueles que mais desfrutavam de alegria e felicidade. Será mesmo? Bem afirmou o Pastor HDL “O perverso não é feliz. Ele pode ter dinheiro, mas não felicidade. Ele pode comprar uma casa, mas não um lar. Ele pode comprar alimentos deliciosos, mas não apetite. Ele pode comprar os melhores planos de saúde, mas não saúde. Ele pode ter um rico enterro, mas não o céu”.

A prosperidade do ímpio não é sinal de segurança nem de felicidade. Quem diria que um dia o governadores, grandes empresários, políticos estariam atrás das grades por causa de seus roubos imensos contra o país? A lava-jato é uma prova de que a casa do ímpio desabará sobre sua própria cabeça. O perverso, o ímpio jamais escapa. Não é verdade o que aqueles homens diziam.

Podem até usufruir do que o dinheiro pode comprar, mas vivem encobrindo seus erros. Se esquecem que o fazem às ocultas, um dia será anunciado dos telhados.

Na passagem, os israelitas afirmaram que os ímpios desafiam a Deus e escapam ilesos. Será isso verdade?

Nem sempre Deus acerta as contas com os que pecam contra ele no momento do pecado e isto faz parecer que o juízo de Deus é demorado para acontecer ou até que não vai acontecer. No entanto, lemos no Salmos 73.27 que os que abandonam ao Senhor perecerão e serão destruídos. Achar que o ímpio vai escapar sem punição não é verdade. Basta olharmos para a história bíblica, para percebermos isso. “A queda de Adão, o dilúvio, Sodoma e Gomorra e o cativeiro de Israel revelam que Deus não deixa impune o perverso. Asafe diz: “Certamente tu os pões em lugares escorregadios, tu os lanças para a ruína. Como caem na desolação num momento! Ficam totalmente consumidos de terrores” (Sl 78.18,19)

Os ímpios serão punidos. Veja o que diz Malaquias 4.1 “1 “Pois certamente vem o dia, ardente como uma fornalha. Todos os arrogantes e todos os malfeitores serão como palha, e aquele dia, que está chegando, ateará fogo neles”, diz o Senhor dos Exércitos. “Nem raiz nem galho algum sobrará”.

 

CONCLUSÃO:

Deus mostra a diferença entre o justo e o ímpio e promete misericórdia aos que o servem.

Vimos hoje as características do ímpio. Afronta a Deus, mente cauterizada e insensível, incapaz de reconhecer a providência de Deus e exalta a felicidade passageira dos pecadores.

Mas lembrar o que nos ensina o Salmo 1. Deus conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá.

Veremos na próxima oportunidade as características do justo.

Vale, no entanto, a pergunta: de que lado você está? Se alguma dessas características vistas hoje você as possui. Arrependa-se. Deus é misericordioso para nos restaurar e nos perdoar por meio de Jesus Cristo.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *