Malaquias 3.13-18 De que lado você está? Parte 2.

DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ? – Parte 2

 

Malaquias 3.13-18

13 “Vocês têm dito palavras duras contra mim”, diz o Senhor. “Ainda assim perguntam: ‘O que temos falado contra ti? ’

14 “Vocês dizem: ‘É inútil servir a Deus. O que ganhamos quando obedecemos aos seus preceitos e andamos lamentando diante do Senhor dos Exércitos?

15 Por isso, agora consideramos felizes os arrogantes, pois tanto prospera o que pratica o mal como escapam ilesos os que desafiam a Deus! ’ ”

16 Depois aqueles que temiam ao Senhor conversaram uns com os outros, e o Senhor os ouviu com atenção. Foi escrito um livro como memorial na sua presença acerca dos que temiam ao Senhor e honravam o seu nome.

17 “No dia em que eu agir”, diz o Senhor dos Exércitos, “eles serão o meu tesouro pessoal. Eu terei compaixão deles como um pai tem compaixão do filho que lhe obedece.

18 Então vocês verão novamente a diferença entre o justo e o ímpio, entre os que servem a Deus e os que não o servem.

 

Grande ideia: Deus mostra a diferença entre justos e ímpios agindo com compaixão para com aqueles que o temem.

 

INTRODUÇÃO:

                Em nossa última reflexão em Malaquias, fizemos uma reflexão sobre este texto. Descobrimos Deus revelando a atitudes dos que, embora fizessem parte do seu povo escolhido, ainda assim, eram ímpios. Os versos 13 a 15, nos mostram como parte do povo de Deus estava distanciado dele no coração. Falavam mal da vida com Deus. Diziam que não compensava servir ao Senhor e que obedecer aos seus mandamentos e preceitos era inútil, já que eram as pessoas incrédulas que prosperavam financeiramente e não sofriam qualquer tipo de sofrimento.

Em nossos dias vivemos situação semelhante. Olhamos como os incrédulos deste tempo estão cada vez mais ricos, vivendo uma vida imoral, fazendo o que bem entende, e aparentemente, não há nenhum tipo de punição divina sobre eles. Depois, também olhamos o crescimento dos evangélicos no Brasil e das muitas denominações e junto com elas, o crescimento de doutrinas e práticas completamente distanciadas das Escrituras, mas ainda assim, muitos dos que conhecem a Deus e sua Palavra começam a achar que não compensa seguir o que a Bíblia diz. Os do mundo prosperam financeiramente, fazem tudo de errado e não são punidos. Outras igrejas crescem e vivem festejando, embora não pratiquem as Escrituras e então a pergunta não se cala: porque seguir o que a Bíblia diz, se são os que não seguem que avançam mais?

Deus responde a este questionamento nos versos finais do capítulo e até o final do capítulo 4. Sua resposta inclui sua misericórdia para com os que o temem e lhe são fieis e a destruição dos ímpios no dia do juízo.

Vejamos o que ele fala sobre os justos, que o temem:

 

  1. DEUS OUVE E CONHECE AQUELES QUE O TEMEM.

16 Depois aqueles que temiam ao Senhor conversaram uns com os outros, e o Senhor os ouviu com atenção. Foi escrito um livro como memorial na sua presença acerca dos que temiam ao Senhor e honravam o seu nome.

 

Em meio à indiferença do povo para com Deus e sua palavra. O Senhor Deus encontra pessoas que o temem e o honram. Sim, existem aqueles que são fiéis, que mesmo em meio ao distanciamento de muitos, insistem em manter fidelidade a Deus e às Escrituras. O que caracterizam estas pessoas?

O texto diz que eles temiam ao Senhor. Temer ao Senhor é o princípio da sabedoria, é o que nos ensina Provérbios. É pelo temor ao Senhor que o crente evita o pecado. Ele sabe quem Deus é e o que Deus faz. Assim, vemos que os justos são sinceros, leais, verdadeiros em sua fé. Não são do tipo que crêem por algum tempo ou apenas quando as coisas vão bem. “Aqueles que temem a Deus não temem aos homens, não se rendem ao pecado, não põem o pescoço na coleira do diabo”.

Além disso, o verso 16 afirma que aqueles que temiam ao Senhor, também estavam juntos e conversavam uns com os outros. Estas pessoas amavam a comunhão, o encorajamento mútuo. Estavas juntas para crescimento e edificação. Que lição! Deus revela que os que o temem andam juntos. São fortalecidos pela convivência em torno dele e uns dos outros. Estão falando de Deus uns aos outros.

Meus irmãos, enquanto o discurso do mundo é o pecado, enquanto o discurso de religiosos são o que podem usufruir de Deus, os justos estão temendo, honrando e compartilhando sua experiência com Deus.

Em tempos de desigrejados, em tempos de pessoas crendo que estão bem com Deus ficando em casa. Em tempos de pessoas que passam pelas outras e sequem tem coragem de cumprimentar, mas viram o rosto. Os justos encorajam uns aos outros. Os justos, os que são justificados por Deus em Cristo, estes estarão motivando e animando uns aos outros, pois amam estar juntos. Os que são de Deus derrubam as barreiras que os separam pelo perdão, pelo interesse no bem estar do outro.

O texto também diz que Deus os ouviu com atenção. Ouvir aqui indica que Deus está atento aos que o temem. Um livro foi escrito para que Deus não se esquecesse dos que o honravam. Estas palavras mostram como Deus age em prol daqueles que, por meio de Cristo, vivem para sua glória. Mas, indo além, o texto revela que o registrar o nome deles no livro indica que Deus conhece os que são seus. Em 22 anos de ministério, sempre lembro às pessoas que o simples fato de ter sido batizado e ter seu nome no rol de membros não significa que você seja salvo por Jesus. A salvação é um presente dado por Deus ao que crê em Jesus Cristo, como filho de Deus e que, como resultado e prova disso, obedece à sua vontade. Veja que no meio de Israel, o povo de Deus, haviam aqueles cujos nomes estavam escritos no livro de Deus, estes eram aqueles que Deus considerou justos, que não somente louvavam o seu nome, mas honravam o seu nome. Muitos podem cantar louvores a Deus, mas honrar ao Senhor inclui pensamentos, palavras e ações que conduzam outros a reconhecerem você como servo de Cristo.

 

  1. DEUS RECOMPENSA AQUELES QUE O TEMEM.

16 Depois aqueles que temiam ao Senhor conversaram uns com os outros, e o Senhor os ouviu com atenção. Foi escrito um livro como memorial na sua presença acerca dos que temiam ao Senhor e honravam o seu nome.

17 “No dia em que eu agir”, diz o Senhor dos Exércitos, “eles serão o meu tesouro pessoal. Eu terei compaixão deles como um pai tem compaixão do filho que lhe obedece.

18 Então vocês verão novamente a diferença entre o justo e o ímpio, entre os que servem a Deus e os que não o servem.

 

O verso 17 começa com o Senhor afirmando que haverá o dia de sua ação. Ao que tudo indica, isso se refere ao juízo final. O juízo é uma realidade ensinada em toda a Bíblia. Chegará o dia em que Deus separará os bodes das ovelhas, o trigo do joio, os justos dos injustos.

Em Mateus 7.22 lemos assim: 21 “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. 22 Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres? ’23 Então eu lhes direi claramente: ‘Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal! ’ ” 24 “Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as pratica é como um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha. 25 Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela não caiu, porque tinha seus alicerces na rocha. 26 Mas quem ouve estas minhas palavras e não as pratica é como um insensato que construiu a sua casa sobre a areia. 27 Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela caiu. E foi grande a sua queda”.

Jesus deixou uma advertência bem clara afirmando que estar no templo e ter produzido algum resultado espiritual visível não é prova de que o coração seja fiel e obediente a Deus e sua vontade. Esse alerta está claro para você?

Por outro lado, se em seu coração você teme ao Senhor, você ama a Cristo e ama sua igreja. Tem prazer em estar junto, em quebrar as barreiras pessoais para manter a comunhão. Tem disposição em obedecer à Palavra, sim, para você há recompensas. O texto cita algumas, veja:

  1. Deus te ouve. No verso 16 essa é a primeira recompensa. Já falamos disso anteriormente, portanto, não se esqueça. Deus está atento às suas conversas, às suas necessidades, à sua luta. Não estamos sós. Se você o teme, o honra, é obediente à palavra, faz de tudo para que a comunhão seja mantida. Esta recompensa é para você. Deus te ouve.
  2. Deus te ama. Deus se lembra das coisas boas que você faz, e você se torna tesouro pessoal de Deus. Meus irmãos, aquilo que mais amamos, são as coisas que consideramos mais preciosas. No juízo, “Enquanto os perversos serão lançados no lago do fogo, os justos, cujos nomes estão no livro da vida, entrarão no céu. Enquanto os perversos ouvirão: “Apartai-vos”, os justos ouvirão: “Vinde benditos de meu Pai, entrai na posse do Reino””. (HDL). Queridos, no Novo Testamento, a Igreja é um povo de propriedade exclusiva de Deus como lemos em 1 Pe 2.9,10. Se você teme ao Senhor, ama a igreja, faz o que é correto obedecendo a Palavra de Deus. Esta recompensa é para você.
  3. Deus te reconhece como filho. O verso 17 diz que ao que ao teme, Deus terá compaixão dele como um pai ao filho que lhe obedece. Há aqui uma verdade importante. A paternidade divina está relacionada com a obediência do filho. Há uma versão que traduz a palavra compaixão por poupar. Esta palavra indica que a compaixão de Deus nos é dada por causa da sua misericórdia, e não pelos méritos do que o teme. Meus irmãos, temer ao Senhor é uma consequência natural na vida daqueles que creem em Cristo. A salvação é um presente e não uma recompensa. Mas ser reconhecido como filho e ser tratado como tal é a recompensa dos que temem ao senhor e lhe são obedientes.

 

CONCLUSÃO:

Deus mostra a diferença entre justos e injustos. Toda injustiça, toda prática pecaminosa, da fofoca ao adultério, da ira ao assassinato, tudo será punido por Deus.

Os injustos não perecerão na congregação dos justos avisa o Salmo 1.

Deus conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá. Justo é aquele que crê em Jesus e que, por causa desta fé, faz o que é certo, obedecendo a Bíblia, a sua palavra. Esta pessoa tem medo de Deus, evitando o erro e fazendo de tudo para acertar sempre.

Esta pessoa será recompensada com o amor de Deus, o reconhecimento de que, de fato é filho dele, e que portanto, será tratado com compaixão que necessita.

A pergunta final feita na primeira parte deste sermão continua para você hoje. De que lado você está? Justo ou injusto?

 

3 comentário em “Malaquias 3.13-18 De que lado você está? Parte 2.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *