Malaquias 2.1-9 QUE LIDERANÇA QUEREMOS?

Malaquias 2.1-9

1 Sacerdotes, esta advertência agora é contra vós.

2 Diz o SENHOR dos Exércitos: Se não ouvirdes com atenção e não dispuserdes o coração para honrar o meu nome, enviarei maldição contra vós e amaldiçoarei as vossas bênçãos. Eu já as tenho amaldiçoado, porque não dedicais o coração para me honrar.

3 Destruirei a vossa descendência, e esfregarei esterco no vosso rosto, sim, o esterco dos vossos sacrifícios; e com ele sereis lançados fora.

4 Então sabereis que eu vos fiz esta advertência, para que a minha aliança com Levi continue, diz o SENHOR dos Exércitos.

5 Minha aliança com ele foi de vida e paz. E dei-lhe isso para que me temesse; e ele me temeu e tremeu por causa do meu nome.

6 A verdadeira instrução estava em sua boca, e a maldade não se achou em seus lábios. Ele andou comigo em paz e retidão e desviou muitos da maldade.

7 Os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca os homens devem procurar a instrução na lei, porque ele é o mensageiro do SENHOR dos Exércitos.

8 Mas vos desviastes do caminho; fizestes tropeçar a muitos pela vossa instrução; quebrastes a aliança de Levi, diz o SENHOR dos Exércitos.

9 Por isso também fiz com que fôsseis desprezados e humilhados diante de todo o povo, pois não guardastes os meus caminhos, mas mostrastes parcialidade na aplicação da lei.

Grande Ideia: Um líder será bênção ou maldição quando obedece ou não as Escrituras.

INTRODUÇÃO:

 

                O livro de Malaquias está nos chamando à reflexão. Deus está cansado de religião falsa, descompromissada com sua Palavra, em que os que a seguem levam tudo na brincadeira.

                Vivemos uma época muito parecida com a de Malaquias, de modo que as advertências feitas por Deus neste livro são muito atuais, se aplicam à nossa realidade.

                Infelizmente, na atualidade, vemos pessoas brincando de ser cristãs. O culto se tornou apenas uma formalidade. Muitos entendem as reuniões no templo como algo para sua alegria momentânea e não como um serviço dedicado a Deus. Perdeu-se o respeito, a valorização, a dedicação, a noção de sacrifício de si mesmo ao Senhor, conforme nos ensinou Paulo em Rm. 12.1

                Mas onde foi que erramos? Sem dúvida, os erros começam pela liderança. Deus levanta homens para liderar seu povo, mas se eles não forem comprometidos com a Palavra ensinarão suas próprias ideias e vontades e ao invés de serem bênção, serão maldição, pois conduzirão o povo ao erro, o que trará o castigo divino. O que faremos? Que liderança queremos? Um líder que é bênção ou que é maldição? Estas são as palavras de Deus a Malaquias. Vejamos suas advertências:

  1. 1.Quando a liderança se desvia, sua bênção se transforma em maldição. (1-4)

1 Sacerdotes, esta advertência agora é contra vós.

2 Diz o SENHOR dos Exércitos: Se não ouvirdes com atenção e não dispuserdes o coração para honrar o meu nome, enviarei maldição contra vós e amaldiçoarei as vossas bênçãos. Eu já as tenho amaldiçoado, porque não dedicais o coração para me honrar.

3 Destruirei a vossa descendência, e esfregarei esterco no vosso rosto, sim, o esterco dos vossos sacrifícios; e com ele sereis lançados fora.

4 Então sabereis que eu vos fiz esta advertência, para que a minha aliança com Levi continue, diz o SENHOR dos Exércitos.

                Um fato inegável na história de Israel que revela muito sobre Deus é que toda vez que este povo obedeceu à vontade de Deus, ele foi abençoado, mas toda vez que pecaram e desobedeceram ao Senhor, eles foram amaldiçoados. Nos tempos de Malaquias, Israel estavam voltando de uma dessas maldições por causa de seus pecados. O povo havia saído do cativeiro. Mas por causa de seus erros, não conseguiram mais ter um rei, um governante. Eles eram então dirigidos pelos sacerdotes. Esta figura do sacerdote passou a ser a pessoa mais importante do reino, pois tinha a missão de ensinar e falar a Palavra de Deus ao povo.

                Agora Deus está advertindo a liderança e falando em maldição novamente. Ela veio! Depois de Malaquias, foram 400 anos de silêncio profético, em que o povo mergulhou em profundas angústias.

                Em primeiro lugar aqui, o Senhor está avisando que o problema começa com a liderança. Era contra os sacerdotes que ele estava advertindo. É interessante destacar que a liderança espiritual nunca é neutra, ou ela é bênção, ou ela é maldição. Não tem meio termo.

                Quando olhamos o verso 2, vemos que a maldição cai sobre a liderança. A insatisfação de Deus é demonstrada quando Ele afirma que vai amaldiçoar as bênçãos deles. Prestem atenção, Deus não está dizendo que vai amaldiçoar ou abençoar. Ele está dizendo que vai amaldiçoar as bênçãos da liderança. Ou seja, quando o líder levantava as mãos para abençoar, Deus tornava as bênçãos em maldições.

                Mas qual o motivo desta ação de Deus? A liderança parou de ouvir o que Deus dizia. Ouviam com os ouvidos, mas não com o coração. A acusação é que não davam honra ao nome do Senhor. Lembram-se das Palavras do apóstolo de Paulo que tudo deve ser feito para glória de Deus? É isso. Eles até ouviam, conheciam os textos, mas não seguiam, não glorificavam a Deus em obediência aos seus ensinos.

                Repito aqui as palavras do Pastor Hernandes Dias Lopes que diz assim: “Os homens que deviam ensinar a Palavra de Deus não estavam fazendo isso adequadamente. Hoje, há igrejas cujos pastores são desencorajados de estudar, porque julgam que isso é carnalidade. Acham que podem abrir a Bíblia ao acaso e o que saltar aos olhos do pregador é o que se deve pregar. Depois, ainda dizem: “Foi o Senhor que mandou”. Essa atitude perniciosa, relaxada e irresponsável, tem produzido uma geração de crentes analfabetos da Bíblia, facilmente manipulável, verdadeira massa de manobra nas mãos de pastores inescrupulosos que querem tirar proveito do rebanho em vez de apascentá-lo com conhecimento e inteligência.

                Mas Deus vai mais longe. Ele afirma que a maldição aos líderes incluía uma descendência reprovada e uma vida desonrada. Já que no v. 3, descendência pode significar semente. Isto tem duas interpretações. Ou as colheitas seriam fracas, o que diminuiriam o sustento deles, ou não teriam filhos.

                Ao dizer que esfregaria esterco nos rostos deles, Deus estava afirmando que a liderança e os sacrifícios sem valor que ofereciam eram tão terríveis, que tantos os sacerdotes quanto os sacrifícios deveriam estar no monte de esterco, longe da presença do Senhor.

                Meus irmãos, quantos pastores estão pervertendo as Escrituras, se divorciando por quaisquer motivos, muitos se afundando por causa de dinheiro e da sede de poder. Uma vergonha completa para a igreja dos nossos tempos.

                Infelizmente, o verso 4 diz que apenas quando for tarde demais. Eles desviarão a muitos, envergonharão a igreja, e se lembrarão das advertências de Deus tarde demais. Que tipo de liderança queremos?

  1. 2.Um líder verdadeiro é uma bênção. (5-7).

5 Minha aliança com ele foi de vida e paz. E dei-lhe isso para que me temesse; e ele me temeu e tremeu por causa do meu nome.

6 A verdadeira instrução estava em sua boca, e a maldade não se achou em seus lábios. Ele andou comigo em paz e retidão e desviou muitos da maldade.

7 Os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca os homens devem procurar a instrução na lei, porque ele é o mensageiro do SENHOR dos Exércitos.

                No verso 4, Deus fala de sua aliança com Levi. Os sacerdotes eram da tribo de Levi, por isso, eram chamados de Levitas. Destacando a pessoa de Levi, temos características de um líder abençoador.

                1. Ele mantém um relacionamento profundo com o Senhor. (v.5). Deus afirma que Levi o temeu e tremeu por causa do nome do Senhor. Queridos, um líder na igreja precisa ter consciência de quem é Deus. Precisa ter um relacionamento profundo com o Senhor. Ele não é apenas alguém que dirige uma reunião ou um grupo. Ele presta contas ao Deus de toda a terra. Andar com Deus é mais importante do que trabalhar para Deus. Quem treme diante do nome de Deus não tem medo de perseguições, de prisões, etc.

                2. Ele mantém firma a sã doutrina. (v.6). A verdadeira instrução estava em sua boca. Quem prega algo que a Bíblia não diz é falso profeta. Hoje vemos as igrejas sendo destruídas pelo liberalismo, pragmatismo, sincretismo e outros desvios terríveis. A igreja evangélica está em profunda crise. O apóstolo Paulo diz: “No ensino, mostra integridade, reverência, linguagem sadia e irrepreensível, para que o adversário seja envergonhado não tendo indignidade nenhuma que dizer a nosso respeito” (Tt 2.7,8). Ah, meus irmãos, “A verdade é mais importante do que o sucesso. Fidelidade é mais importante que popularidade. Importa mais agradar a Deus do que ser louvado pelos homens” (HDL). Não podemos negociar a palavra de Deus. Quem prega a verdade desvia a muitos da maldade.

                3. Ele é estudioso e prega a verdade de Deus. Leia por favor, o verso 7 Os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca os homens devem procurar a instrução na lei, porque ele é o mensageiro do SENHOR dos Exércitos. Tem muitos líderes que pregam de forma relaxada. Seus sermões são cheios de filosofia, psicologia, autoajuda, mas pobres das verdades das Escrituras. Pregadores relaxados, que já perderam o amor e respeito pela Bíblia. Não haverá avivamento sem arrependimento de pecados e retorno obediente às escrituras.

            É interessante que o resultado é a transformação de vidas. Igreja edificada, pecadores salvos. Quando nos dispomos a ouvir com ouvidos e com o coração, Deus nos leva a ganhar almas. Meus queridos, ou a igreja evangeliza ou morre. Precisamos viver e compartilhar a Palavra. Que tipo de liderança nos queremos?

  1. 3.Um líder falso é uma maldição (8,9).

8 Mas vos desviastes do caminho; fizestes tropeçar a muitos pela vossa instrução; quebrastes a aliança de Levi, diz o SENHOR dos Exércitos.

9 Por isso também fiz com que fôsseis desprezados e humilhados diante de todo o povo, pois não guardastes os meus caminhos, mas mostrastes parcialidade na aplicação da lei.

                A acusação contra os sacerdotes é que eles se desviaram da Palavra, e por causa disto, estavam fazendo com que outros se desviassem. Observem que é a instrução dada pelos líderes que traziam tropeço a muitos.

                Uma liderança falsa não anda com Deus (quebraram a aliança); por consequência deste distanciamento, desta vida de piedade, afastam outros de Deus, (fizestes tropeçar a muitos pela vossa instrução). Que tristeza! Vemos isso tudo hoje. A igreja passou a ser uma empresa particular, o evangelho um produto, o púlpito um balcão, o templo uma praça de barganha e os crentes consumidores.

                A liderança de Israel além de não ensinarem o certo, ainda ensinaram o errado com seu próprio mal exemplo. Quantos desvios doutrinários estão invadindo nossos púlpitos! Mas a maldição do falso líder, do líder desobediente à Bíblia é ainda agir para agradar os outros. “Mas mostrastes parcialidade na aplicação da lei”. Esta acusação do verso 9, é que a liderança age de acordo com a conveniência. Dois pesos, duas medidas. Pessoas falsas e líderes assim, serão desacreditados.

                Que tipo de liderança queremos?

CONCLUSÃO:

                Qual o critério para escolhermos ou avaliarmos um líder, seja pastor, ou qualquer outra liderança na igreja? Sem dúvida alguma, as Escrituras será o nosso aferidor.

                Um líder será bênção ou maldição quando obedece ou não as Escrituras.

                Na igreja não podemos escolher líderes por sua condição cultural ou social. Escolhemos líderes pelo seu compromisso com Deus e com sua Palavra. Este é o fator principal.

                Que tipo de liderança queremos?

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *