Jonas 1.4-5 CONSEQUENCIAS DE AFASTAR-SE DE DEUS

Jonas 1.4,5

4 O Senhor, porém, fez soprar um forte vento sobre o mar, e caiu uma tempestade tão violenta que o barco ameaçava arrebentar-se.

5 Todos os marinheiros ficaram com medo e cada um clamava ao seu próprio deus. E atiraram as cargas ao mar para tornar mais leve o navio. Enquanto isso, Jonas, que tinha descido para o porão e se deitado, dormia profundamente.

“O repórter estava entrevistando uma senhora muito pobre, mãe de vários filhos. “E o João, seu filho mais velho?”, perguntou. “Está preso, coitado do meu filho. Está puxando 16 anos”. “O que é que ele fez?” “Umas bobaginhas” – respondeu a pobre mulher, tão presa do medo quanto seu filho das grades. “Umas bobaginhas”.

Parece que Jonas também via seu ato de desobediência à vontade de Deus como uma bobaginha, algo que poderia passar em branco. Deus não se importaria com isso. Mas nosso texto diz que não. Deus se importa e ele não deixa passar em branco. Talvez Jonas pensasse que deixar de ir pregar à Nínive não fosse atrapalhar ninguém. Eu desobedeço a Deus e o problema só afeta a mim. Mas não é isso que o texto diz. A partir da sua escolha de afastar-se de Deus, a história registra que mais pessoas são afetadas por este erro.

Agora o Deus soberano, poderoso e gracioso está perseguindo Jonas. Ele fez soprar um vento forte sobre o mar. Uma tempestade violenta sacode o barco onde está Jonas com a possibilidade dele afundar. A bobaginha de Jonas ameaçava todos ao seu redor. O pecadinho de Jonas tem efeitos colaterais. Todos ao seu redor são afetados. O risco é real e iminente.

Todos ao redor de Jonas oram. Jonas dorme. Uma consequência natural do pecado é fugir da presença de Deus deixando de orar. Orar se torna algo chato e vazio. É triste ver que pessoas não cristãs oram às suas imagens, aos seus falsos deuses, e aqueles que se dizem de Jesus, não o fazem. Não sentem prazer em estar na presença de Deus pela oração.

Todos ao redor de Jonas também agem na tentativa de resolver os problemas. Eles atiravam cargas ao mar para tornar o navio mais leve. Jonas dorme. Os homens sem Deus tendem a buscar soluções, infelizmente, elas são sempre pautadas pelo esforço humano e não pela fé. O servo de Deus está dormindo. Ele não age. Ele não participa do esforço pela solução. Quando o homem se afasta de Deus ele perde as forças para a ação. Não há nada que o motive a procurar uma solução sábia. Sem Deus não há sabedoria. A “bobaginha” de Jonas, seu pecadinho, isto lhe retira a oportunidade ser uma influência positiva na vida dos marinheiros. Ele já não tem interesse pelas almas que se perdem. Ele está indiferente!

Queridos, ainda em muitos momentos da nossa vida, repetimos a indiferença de Jonas sobre as necessidades alheias por estarmos afastados de Deus. Voluntariamente, nos afastamos da oração, do serviço cristão mediado pela igreja, da oportunidade de fazer diferença na vida dos que nos cercam. Nosso pecadinho, nossa bobaginha, vai minando nossas forças e nos conduzindo ao sono profundo, à inação, à preguiça. “Hoje eu não vou ao culto, estou cansado, que mal há nisso?” Vamos nos afastando do compromisso assumido, da chamada feita por Deus a nós para adorá-lo e servi-lo em comunidade (igreja) e influenciando pessoas ao nosso redor.

Enquanto isso, Jonas havia descido ao porão e, deitado, dormia profundamente. Esta é a frase que termina a passagem de hoje. Ela começa com “enquanto isso”. Nas versões mais antigas, esta frase traduz um “porém”. A maneira como é colocada no texto, às vezes me faz pensar que Jonas foi dormir, mesmo vendo que a tempestade havia chegado. Se este modo de entender for o correto, o sono de Jonas é também uma escolha de fuga diante dos problemas que o afetavam e também aos outros. Mas à frente, no livro, veremos que Jonas sabia que ele era o causador do problema, mas ainda assim, está indiferente. Falando sobre pecado, alguém anônimo afirmou que: “É muito mais fácil nos arrependermos dos pecados que já cometemos que nos arrependermos daqueles que pretendemos cometer”.

Queridos, onde estamos agora? Onde você está? Será que as tempestades que assustam os que estão ao nosso redor são resultado de nossa omissão? Da nossa bobaginha? Estaria você e eu indiferentes? Estaremos com dificuldades de arrependimento por que nosso pecado fora voluntário e premeditado? Será que já nos afastamos tanto de Deus que a nossa tendência é não ter mais vontade de orar e de estar perto de Deus?

DESAFIO DE HOJE: Ore a Deus. Mesmo sem vontade, insista. Não fuja da presença de Deus, pois se você é dele ele vai perseguir você. Ele te ama. Ele ter quer de volta. Mas arrependido. Transformado. Amando estar perto dele pela oração e pela Palavra. Ele te oferece mais uma oportunidade. Não dispense. Não desça mais e não durma. Peça a Deus para falar ao seu coração e transformar sua mente com sua Palavra. Que Deus te abençoe e que tenhamos um dia debaixo do poder do Senhor.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *