Colossenses 3.20-21 CRISTO É TUDO NO AJUSTE DAS RELAÇÕES FAMILIARES

 

CRISTO É TUDO NO AJUSTE DAS RELAÇÕES FAMILIARES

 

 

 

Colossenses 3.20.21

 

 

 

17 Tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando por meio dele graças a Deus Pai.

 

20 ​Filhos, em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo é grato diante do Senhor.

 

21 ​Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados.

 

 

 

Grande Ideia: A relação pai e filho é ajustada quando Cristo é tudo para todos.

 

 

 

 

 

INTRODUÇÃO:

 

               

 

                Um dos alvos de qualquer pai e qualquer mãe é ter filhos que lhes traga certo orgulho e alegria e não vergonha pública. Em Provérbios 29.15 lemos: “​A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe”. Há outros textos que falam que traz tristeza ao pai.

 

                A Bíblia tem alguns versos que nos dão luz sobre a responsabilidade paterna de educar os filhos nos caminhos de Deus. Mas também temos a orientação importante para que os filhos sejam obedientes aos seus pais.

 

                Paulo entende que uma marca no coração do crente é o desejo de ser parecido com Jesus. Neste capítulo ele submete a relação em família e entre os irmãos na igreja ao que está no verso 17, onde ele nos ensina que somos representantes de Jesus neste mundo. Tudo o que falamos e fazemos deve ser de forma a apontar a glória para Cristo. Somos seus representantes, fazemos tudo para que Cristo seja glorificado.

 

                É debaixo desta orientação e compreendendo que agora temos uma nova roupa, a roupa de Cristo, com a qual nos vestiremos e faremos diferença neste mundo, é com base nisto que Paulo nos informa a possibilidade de ajustarmos nossas relações familiares. Nestes versos, quero pensar nas duas esferas de ações – o papel dos pais e o papel dos filhos.

 

                              

 

1.       FILHOS – OBEDIÊNCIA MOTIVADA PELO SENHOR.

 

20 ​Filhos, em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo é grato diante do Senhor.

 

 

 

                Geralmente quando se fala em filhos obedientes, pensamos em primeira instância nas crianças. Mas convido a todos os filhos aqui presentes, você que ainda não é pai de família e observarem o texto, veja o que ele diz. Está escrito, por acaso, “Filhos, obedecei aos vossos pais de vez em quando ou quando faz sentido para você? é isso que diz?”

 

                Se olharmos o texto, veremos que se trata de obedecer aos pais em tudo. Agora literalmente a palavra obedecer significa ouvir com atenção, é uma atitude e uma ação. Mas é importante identificar os dois. Porque um filho pode se submeter em ações, mas não em atitude. E, o que o texto sugere é a obediência voluntária, o que é agradável ao Senhor. Obediência pela metade é o mesmo que desobediência, e desobediência é rebelião.

 

                As crianças precisam entender isso. Elas estão debaixo da autoridade de seus pais e precisam prestar atenção nestas verdades, e quando fazem isso, estão agradando a Deus.

 

                Pastor HDL, diz em seu comentário, que “Os filhos que não aprendem a obedecer aos pais não obedecerão a nenhuma outra autoridade. A desobediência aos pais é um sinal da decadência do mundo, segundo Romanos 1.30 que diz: “Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães”. Também é um sinal do fim do mundo conforme 2Tm 3.1-5. A força de uma nação deriva da integridade dos seus lares”.

 

                Nos tempos atuais, há outra coisa que é preciso tratar aqui. Não é algo fácil de falar, mas é preciso, para que tenhamos orientação completa. Quando essa passagem fala de submissão ou obediência, é difícil falar disso, mas o texto não está falando sobre quando tem abuso físico ou sexual. Porque este tipo de abuso, é satânico, no entanto, Infelizmente está acontecendo no mundo inteiro e este tipo de abuso enfurece a Deus pai. Creio biblicamente que haverá juízo pesado de Deus para aqueles que estão abusando de suas esposas e filhos. Quero que entendam isso, vivam e ensinem a Palavra, pois existem pessoas que ouvem a Palavra, mas que não a seguem como se fosse a Palavra vinda de Deus. Estes pegam os textos bíblicos, distorcem ou diminuem suas palavras e usam para seus propósitos. Isso é satânico. Não gosto de falar sobre isso, mas temos que lidar com esta realidade.

 

 

 

2.       PAIS – DISCIPLINA E ENCORAJAMENTO FEITOS COM AMOR.

 

21 Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados.

 

 

 

                Nosso texto continua dizendo também aos pais no versículo 21. O conselho bíblico é que os pais não devem irritar seus filhos, para que eles não fiquem desanimados.

 

                Infelizmente, nós conseguimos desanimar nossos filhos. Pais que estão sempre exigindo sua autoridade apenas por ser pais e não para glória de Deus desanimam seus filhos. Segundo Paulo, não é assim que devemos liderar como pais. Nosso modelo é Deus e ele não nos tratou assim. Deus Pai é autoridade, mas ele não vem gritando conosco. Se queremos um exemplo de como devemos ser pai, precisamos observar como é o nosso pai celestial.

 

                Temos de admitir que não seremos perfeitos neste assunto, mas quanto mais nos aproximarmos de Deus, mas Ele nos ajudará a fazer isso.

 

                Ainda que seu pai tenha sido um péssimo exemplo quando educou você, o pai celestial é nosso modelo perfeito. Ele nos deu tudo que precisamos. Ele é firme, mas sempre com amor. O que Paulo destaca aqui é que firmeza na disciplina e amor são duas coisas que podem ser comunicadas juntas.

 

                Deus sabe que podemos agir sem amor. Então queridos pais, precisamos disciplinar a nós mesmos inicialmente, aprender com a Palavra, exercermos domínio próprio, e então disciplinar nossos filhos, mas fazer isso tentando não os desanimar.

 

                Precisamos perguntar a nós mesmos quando nós irritamos nossos filhos? Pastor Hernandes Lopes nos dá alguns exemplos: 1) Quando não há coerência nos pais, ou seja, falam uma coisa e vivem outra. 2) Quando não há regras claras na disciplina, ou seja, os filhos são num momento elogiados e noutro disciplinados pela mesma atitude. 3) Quando não há diálogo – Absalão chegou ao ponto de preferir a morte do que o silêncio do pai. 4) Quando há injustiça ou excessiva severidade. 3) Quando os pais não têm tempo para ouvir, orientar e ajudar os filhos em suas necessidades. 6) Quando os pais comparam um filho com outro e despertam entre eles ciúmes, inveja e ódio. 7) Quando pai e mãe entram em conflito acerca da maneira de orientar os filhos. 8) Quando os pais são permissivos ou duros demais com os filhos. 9) Quando os pais brigam o tempo todo ou desfazem os laços do casamento pelo divórcio.

 

                Precisamos tomar cuidado para não conduzir nossos filhos nos extremos, sendo pais tão passivos e liberais que nossos filhos acabem vivendo sem regras e de forma errada e imoral, mas também não podemos ser tão severos, tão rígidos que nossos filhos sejam cheio de apatia e revolta. O modelo de Deus Pai é disciplina com amor e perdão.

 

                Ralph Martin, citado por Hernandes Dias Lopes, diz que a palavra grega traduzida por “irritar”, sugere um desejo de irritar os filhos ou pela implicância, ou, ainda mais sério, por zombar dos seus esforços e ferir seu respeito-próprio. Há pais que agridem os filhos fisicamente e outros que os agridem psicologicamente. Ambas as situações são pecaminosas e precisam ser tratadas biblicamente por nós, os pais.

 

                Paulo nos afirma que se os filhos são irritados eles se tornam desanimados e, nesta condição ficam expostos aos ataques de Satanás e do mundo. Quando uma criança não é devidamente encorajada em casa, procura auto-afirmação em outros lugares.

 

                O grande segredo será aprender a usar da disciplina e do encorajamento na medida certa. Não podemos permitir que nossos filhos pensem que nunca farão algo, por mais que se esforcem para agradar seus pais, pois isto os tornará desanimados.

 

                Amar nossos filhos como Jesus é amá-los por quem eles são e não pelo que fazem.

 

                Assim, precisamos nos tornar pais e mães que oram pelos filhos. Que os disciplinam amorosamente e com os encorajem para que veja este amor praticado por seus pais.

 

 

 

CONCLUSÃO:

 

                Filhos, sejam em tudo obedientes aos seus pais. Façam isto, porque é a vontade de Deus e porque vocês amam a Jesus.

 

                Pais, sejam vocês mesmos disciplinados, obedientes a Cristo. Assim, poderão perceber como Deus os trata, e aprenderão a tratar com seus filhos, encorajando-os e não os desanimando.

 

                Se Cristo é tudo para você, sua vida vai imitá-lo e suas relações familiares serão ajustadas. Deus nos abençoe. Amém.

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *