Colossenses 1.24 a 2.5 – Cristo em nós – O maior mistério de Deus é revelado!

SERMÕES EM COLOSSENSES – TEMA GERAL: CRISTO É TUDO

CRISTO EM NÓS – O MAIOR MISTÉRIO DE DEUS É REVELADO!

 

COLOSSENSES 1.24 a 2.5

24 Agora me alegro em meus sofrimentos por vocês, e completo no meu corpo o que resta das aflições de Cristo, em favor do seu corpo, que é a igreja.

25 Dela me tornei ministro de acordo com a responsabilidade por Deus a mim atribuída de apresentar-lhes plenamente a palavra de Deus,

26 o mistério que esteve oculto durante épocas e gerações, mas que agora foi manifestado a seus santos.

27 A eles quis Deus dar a conhecer entre os gentios a gloriosa riqueza deste mistério, que é Cristo em vocês, a esperança da glória.

28 Nós o proclamamos, advertindo e ensinando a cada um com toda a sabedoria, a fim de que apresentemos todo homem perfeito em Cristo.

29 Para isso eu me esforço, lutando conforme a sua força, que atua poderosamente em mim.

1 Quero que vocês saibam quanto estou lutando por vocês, pelos que estão em Laodicéia e por todos os que ainda não me conhecem pessoalmente.

2 Esforço-me para que eles sejam fortalecidos em seus corações, estejam unidos em amor e alcancem toda a riqueza do pleno entendimento, a fim de conhecerem plenamente o mistério de Deus, a saber, Cristo.

3 Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento.

4 Eu lhes digo isso para que ninguém os engane com argumentos aparentemente convincentes.

5 Porque, embora esteja fisicamente ausente, estou presente com vocês em espírito, e alegro-me em ver como estão vivendo em ordem e como está firme a fé que vocês têm em Cristo.

                                         

Grande Ideia: Cristo em nós – O mistério revelado exige um ministério dedicado.

 

INTRODUÇÃO:

 

                No último sermão, vimos Paulo apresentar a supremacia de Cristo sobre tudo e sobre todos. Vimos que não há ninguém como Jesus. A ideia de apresentar Cristo como tudo para nós continua. E verdadeira a máxima que se Cristo é tudo não precisamos de mais nada.

                Mas Paulo, depois de nos mostrar a grande de Jesus, nos apresenta agora a motivação de seu ministério. O porquê de suas lutas, de suas orações constantes pela igreja, de suas prisões nos é apresentado de forma extraordinária. Cristo é o motivo. Mais ainda, Cristo em nós! Essa era a verdade e a motivação de Paulo, essa era a sua força, esse era o poder que nele atuava! Cristo. Sim, somente Cristo e nada além de Cristo! Cristo é tudo.

                Mas esta revelação, esse mistério revelado, a saber Cristo em nós ou que Cristo habita em nós, Paulo nos mostra que isto exige um ministério dedicado.

 

Transição: Cristo é tudo e está em nós. Essa verdade afeta nossos ministérios de 3 maneiras:

 

1.       CRISTO EM NÓS – ESTA VERDADE NOS MOTIVA A UMA VIDA DEDICADA. (24-27)

24 Agora me alegro em meus sofrimentos por vocês, e completo no meu corpo o que resta das aflições de Cristo, em favor do seu corpo, que é a igreja.

25 Dela me tornei ministro de acordo com a responsabilidade por Deus a mim atribuída de apresentar-lhes plenamente a palavra de Deus,

26 o mistério que esteve oculto durante épocas e gerações, mas que agora foi manifestado a seus santos.

27 A eles quis Deus dar a conhecer entre os gentios a gloriosa riqueza deste mistério, que é Cristo em vocês, a esperança da glória.

                Ler as palavras de Paulo no versículo 24 nos coloca uma dúvida: Paulo tá ficando doido? É isso mesmo que eu li? Paulo se alegra com os seus sofrimentos?

                É preciso dizer que esse é um conceito particular do cristianismo. Quando alguém sofre com alegria por causa de Cristo e sinal que esta pessoa vive por algo grande. É importante ter uma boa teologia do sofrimento. O sofrimento tende a tirar as distrações, nos dá oportunidade de conhecer a bondade de Deus, tão atacada por satanás.

                Ele fez isso lá traz no Jardim do Éden. Satanás tenta nos enganar dizendo que Deus está sempre querendo nos tirar algo de bom. O que acontece quando sofremos com alegria? Anjos e demônios nos assistem e isso exalta o nome de Jesus.

                Completar o que resta do sofrimento de Cristo não significa que foi insuficiente. Nós somos o seu corpo, nós podemos fazer Cristo conhecido através do sofrimento. Nós podemos revelar o mistério. O mistério é Cristo em nós.

                Paulo nestes versos nos dá uma boa visão de como deve ser o nosso trabalho para Jesus, já que ele está em nós.

                Ele nos ensina que a convicção de ter Cristo em si mesmo, torna o sofrimento e as lutas pessoais uma questão secundária. Para Paulo, Cristo e sua igreja é mais importante que os seus problemas. (24). Aqui cabe uma pergunta importante: Você está convencido de ter Cristo habitando em sua vida? Somente esta convicção da presença de Cristo dentro de você vai ajudá-lo a sofrer alegremente enquanto trabalha para Jesus.

                Outra coisa interessante, é que esta convicção de ter Cristo em si mesmo, delimita o conteúdo da pregação. Nos versos 25,26, Paulo afirma que precisa ensinar “plenamente a Palavra de Deus que é o mistério oculto – Cristo”. Este mistério é Cristo em nós. Cristo está no seu povo. Nós juntos somos o lugar onde Deus habita. Este é o mistério. Cristo está em nós. Nosso trabalho é que todos entendam isso plenamente. Nosso ministério cristão, como salvos, é compreender esta verdade e fazê-la conhecida. Temos que nos dedicar a isso todos os dias até o final de nossas vidas.

                Mas o texto nos ensina mais. Cristo é tudo e está em nós. Essa verdade afeta nossos ministérios, de uma segunda maneira:

 

2. CRISTO EM NÓS – É A VERDADE QUE VALIDA TODO NOSSO ESFORÇO. (1.28 a 2.1)

28 Nós o proclamamos, advertindo e ensinando a cada um com toda a sabedoria, a fim de que apresentemos todo homem perfeito em Cristo.

29 Para isso eu me esforço, lutando conforme a sua força, que atua poderosamente em mim.

1 Quero que vocês saibam quanto estou lutando por vocês, pelos que estão em Laodicéia e por todos os que ainda não me conhecem pessoalmente.

 

                No versículo 27, Paulo deixou claro que o mistério é Cristo em nós, é afirmou que Cristo é a esperança da glória. Saber desta verdade impelia Paulo a pregá-la com dedicação, não contabilizando os riscos e os problemas que sofria em função desta obra. No verso 28 ele explica sua metodologia no trabalho cristão: Cristo, a esperança da glória, o grande mistério revelado por Deus, deve ser proclamado, com advertências e ensino com sabedoria – isto demanda vida devocional (Bíblia e oração). Somente uma experiência de vida em que Cristo se torne, de verdade, nossa motivação para tudo, pode nos colocar em condições de viver e realizar um ministério dedicado.

                Cristo é a esperança da glória. Paulo pregava esta verdade, sofrendo muitas vezes, para que todos chegassem à maturidade espiritual. Como ele afirmou, seu trabalho tinha como objetivo apresentar todo homem perfeito em Cristo.

                Este é o seu objetivo? Para que você trabalha? Nossas ações e pensamentos, nossas palavras precisam ser planejadas para ajudar pessoas a se tornarem perfeitas em Cristo, o que exige que nós caminhemos diariamente numa luta espiritual contra nossa carne e contra satanás, para também nos tornarmos perfeitos em Cristo.

                Cristo é a esperança da glória. No verso 29, Paulo nos ensina que devemos lutar com a força de Cristo que atua em nós, por todos os crentes e pelos incrédulos, no objetivo de levar-lhes esta verdade e esperança. Vale a pena esta luta. Afinal, Cristo é tudo. Neste verso 29 a palavra usada para poder é a mesma usada em 2.12. Isto significa que o poder de Deus que ressuscitou Jesus é o poder que nos fortalece na obra do ministério, é o poder que nos auxilia a sofrermos com a alegria de sabermos que somos filhos de Deus. Cristo é tudo!

                Mas o texto nos ensina mais. Cristo é tudo e está em nós. Essa verdade afeta nossos ministérios, de uma terceira e última maneira:

 

3. CRISTO EM NÓS. É A VERDADE QUE NORTEIA NOSSAS AÇÕES. (2.2-5)

2 Esforço-me para que eles sejam fortalecidos em seus corações, estejam unidos em amor e alcancem toda a riqueza do pleno entendimento, a fim de conhecerem plenamente o mistério de Deus, a saber, Cristo.

3 Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento.

4 Eu lhes digo isso para que ninguém os engane com argumentos aparentemente convincentes.

5 Porque, embora esteja fisicamente ausente, estou presente com vocês em espírito, e alegro-me em ver como estão vivendo em ordem e como está firme a fé que vocês têm em Cristo.

                Nestes versos 2 a 5, Paulo está numa luta. A luta de Paulo pelos cristãos é uma luta de agonia. Fritz Rienecker diz que “o retrato é o de uma luta atlética, exaustiva e exigente. A luta aqui não é contra Deus, mas ilustra o intenso esforço de uma pessoa orando, à medida que ela luta consigo mesma e contra aqueles que se opõem ao evangelho”. Russel Shedd, escreveu dizendo que: “À semelhança do conflito de Jesus no Getsêmani, o apóstolo se empenhou na batalha pela salvação das almas que Cristo comprara com o Seu precioso sangue. Essa luta de joelhos, na prisão de Roma, vencia as forças satânicas que avançavam contra os mal protegidos cristãos da Ásia”.

                Toda esta luta de Paulo em oração era porque Cristo estava nele. Esta verdade norteava suas ações, suas lutas.

                Mas há algo importante para nós aqui. Uma vez que Cristo está em nós, devemos ser fortalecidos nos corações, unidos em amor e maduros no conhecimento de Cristo. Vida piedosa, vida devocional; comunhão e maturidade espiritual da igreja era a luta de Paulo em oração. Qual tem sido a sua luta em oração? Por qual motivo você tem lutado em oração? Está sentindo o mesmo peso que Paulo sentia de orar pela igreja, pelos salvos e pelos perdidos, para que conheçam a Cristo?

                Se Cristo está em nós, devemos nos guiar pela sua sabedoria e conhecimento. Os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão em Cristo. Ele é superior a tudo que se possa saber ou aprender neste mundo. Na verdade, nos dias atuais temos um desafio tremendo. Muita gente está distorcendo as Escrituras para defender o feminismo, a causa gay, o aborto, e outras formas de violência às Escrituras. Mas precisamos apenas de Cristo. Ele tem tudo que precisamos saber. Nenhuma filosofia, nenhum conceito sociológico, nenhuma informação é mais importante do que Cristo. Nele aprendemos a nos defender de pessoas e ensinos enganadores. Como Paulo orienta no verso 4. Mas Paulo tinha um motivo para se alegrar com os colossenses, eles viviam de modo ordenado e firme na fé em Cristo. E você, tem dado esta alegria a Cristo?

 

CONCLUSÃO:

 

                Cristo em nós – o mistério revelado exige um ministério dedicado. Cristo em nós é o que nos faz mais dedicados, é o que valida o nosso esforço e o que norteia nossas ações. Cristo está em nós! Cristo é tudo! Amém.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *