Efésios 6.18-22 Nosso Rádio Comunicador com Deus

ORAÇÃO – NOSSO RÁDIO COMUNICADOR COM DEUS

 

EFÉSIOS 6.18-22

18 orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos

19 e por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho,

20 pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar.

21 Ora, para que vós também possais saber dos meus negócios e o que eu faço, Tíquico, irmão amado e fiel ministro do Senhor, vos informará de tudo,

22 o qual vos enviei para o mesmo fim, para que saibais do nosso estado, e ele console os vossos corações.

 

GRANDE IDEIA: A oração é o melhor recurso que temos para nossa comunicação com Deus.

 

INTRODUÇÃO:

                Em nossa última reflexão em Efésios 6.10-17, falamos sobre a armadura de Deus. Nele vimos sobre cinturão da verdade, couraça da justiça, capacete da salvação, sandálias do evangelho da paz, o escudo da fé e a espada do Espírito Santo.

                Quando Paulo falou desta armadura ele tinha em mente o soldado romano de sua época. Mas, na sequencia do texto ele fala ainda de um outro acessório muito utilizado nos dias atuais, pelas tropas militares que é o Rádio comunicador. No texto, a oração é a forma de comunicação que o soldado de Cristo tem com o aquele que o convocou para a batalha. Assim, hoje, gostaria de convidá-lo a pensar no rádio da oração, que é o nosso melhor recurso para nossa comunicação com Deus.

                Então pense comigo:

Como usar o rádio? 

                Como a oração acontece? Oração nada mais é falar com Deus, estar em comunicação com Ele. Não tem nada a ver com fórmulas ou palavras “certas”. Jesus repreendeu aquelas pessoas que só enchiam a linguiça achando que Deus ia ouvir por falar muito ou as frases certas, e também aqueles que oravam para serem vistos pelas pessoas (Mt 6:5-7). Oração é para ser algo simples e sincero. Veja 6 modos de utilização do Rádio da oração:

 

1.       O RÁDIO É PARA COMUNICAÇÃO DO CAMPO DE BATALHA. (18)

                A Palavra diz aqui que é feito por meio de toda oração e súplica. Oração é o termo geral por nossa conversa com Deus independente do que falamos. As vezes é uma expressão do nosso coração, as vezes é gratidão e as vezes lamento. Súplica se refere especificamente aos nossos pedidos. Alguns pensam que pedir é errado ou de alguma forma menos santo que agradecer. Deus quer que busquemos tudo nEle e Ele é grandemente glorificado quando pedimos. É por meio disso que Ele supre o que precisamos para a batalha. Imagina, qual seria a reação de um oficial ao ver seus soldados lutando com um pedaço de pau porque não quiseram pedir mais munição. Ele diria “olha que soldados maravilhosos, eles nunca pedem e só agradecem”.    Devemos ser gratos em tudo como a Palavra diz, mas temos que procurar Deus por tudo que precisamos. É orgulho e pecado quando buscamos coisas sem buscar Deus. Nosso problema não é que pedimos muito, mas que não pedimos o suficiente. Tiago 1:17 diz, “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes”.  Estamos, então, utilizando o rádio em nossa comunicação com Deus por meio de toda oração e súplica para nos manter firmes contra o inimigo. Às vezes é expressar nosso coração e as vezes é pedir o que precisamos para a batalha, e ambos glorificam Deus. Quando o soldado está se comunicando com o seu oficial, as vezes é para avisar como está a situação, como eles estão, para reconhecer a chegada de alguma provisão, e para pedir o que o exército precisar. Nosso rádio existe por comunicação do campo.

 

2.       USE O RÁDIO CONFORME O PROPÓSITO DO GENERAL.

                O rádio da oração deve ser usado no Espírito. Imagine um soldado no meio de uma batalha que pega seu rádio e muda de canal para tentar ouvir o jogo de futebol, ou para encomendar uma pizza para ele comer com o inimigo na trincheira. Essas coisas não têm nada a ver com a missão do exército. Orar no Espírito é orar conforme a vontade de Deus, é orar baseado é quem você é em Jesus Cristo, conforme a Palavra de Deus e conforme a missão dEle nesta batalha espiritual (Fazer discípulos, Mt 28, e dar frutos, Joao 15).

                Podemos orar por coisas grandes como a conversão de uma pessoa ou coisas pequenas como o resultado de uma prova ou até uma roupa que gostaria ter, mas em tudo devemos ter o Espírito Santo guiando nossas orações e pedidos, com seus propósitos em mente. O oficial não vai atender um pedido que não coopera com vitória e com a sua glória na batalha espiritual, ou que poderia ferir seus próprios soldados na sua tentativa de se manter firmes. Tiago fala sobre isso quando diz, Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam, mas não conseguem obter o que desejam. Vocês vivem a lutar e a fazer guerras. Não têm, porque não pedem. Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres.

Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus. Ou vocês acham que é sem razão que a Escritura diz que o Espírito que ele fez habitar em nós tem fortes ciúmes? Tg. 4:2-5 

                Você ora visando a glória de Deus em sua vida? Você ora para Deus operar seus propósitos em sua vida ou você ora visando os propósitos do mundo e do inimigo?

 

3.       DEIXA-LO SEMPRE TRANSMITINDO.

                Uma outra coisa no uso do nosso rádio é que ele deve estar sempre ligado. A Palavra diz aqui “em todas as ocasiões”. É a ideia de sempre que puder. Tem certas pessoas que quando querem deixar o rádio sempre ligado falando com a outra pessoa, põe uma fita para deixar o botão sempre acionado. Outros rádios tem o modo que permite que ele esteja sempre transmitindo. Devemos estar em contato constante com Deus na batalha.

                A palavra diz em outro lugar, “orem continuamente”. Isso não significa que andamos sempre numa posição de oração ou que estejamos sempre falando conscientemente com Deus, mas significa que estamos conscientes em tudo que Deus está ouvindo e que nós estamos na presença dEle. Nosso rádio está sempre transmitindo.

                Porque um soldado vai parar de transmitir, sendo que tudo que passa na batalha é do interesse do oficial? Será que ele vai parar de transmitir se ele começa bater um papo amigo com o inimigo? Será que se ele está dormindo na batalha, ele não vai parar de transmitir? Quando começamos ceder chão para o inimigo em nossas vidas, nossa tendência é de parar de orar e não orar mais. Deus nos vê de qualquer jeito, mas quando estamos orando sempre, estamos reconhecendo e aproveitando ao máximo do fato que Deus está ali com a gente.

 

4.       USE-O EM FAVOR DE TODOS OS OUTROS SOLDADOS.

                Nossa tendência é de ver nossa luta pessoal e achar que isso é a totalidade da guerra. Fazemos parte de um exército muito grande e estamos, todos nós, lutando na mesma batalha espiritual contra o mesmo inimigo. A derrota dela é nossa derrota. Quando aquele irmão cai diante do inimigo nosso exército perde um pouco de chão para as forças do mal. Nosso propósito que é a glória de Deus no mundo por meio de Jesus Cristo avança e retrocede com o exercício de cada soldado no uso de seus dons e talentos e na sua firmeza diante das mentiras do maligno.

                Quando um soldado vê um outro soldado ferido, ele vai chegar e tentar ajudar, mas ele também vai pegar seu rádio e pedir socorro por aquele camarada. Se ele está prestes a ser pego pelo inimigo, o soldado vai pedir uma ação contra o inimigo e vai pedir por mais soldados virem ao seu encontro para socorrer.

                Nossa oração entende que estamos unidos na batalha. É uma comunicação com Deus em favor de “todos os santos”.

 

5.       USE-O COM PERSISTÊNCIA.

                Na questão de orar pelos nossos irmãos, vemos duas palavras importantes. É literalmente “vigiando em toda persistência e petição”. Temos que vigiar (estar alertas) e também ter persistência. Vigiar é saber o que está acontecendo e se manter acordado. Às vezes somos tão ocupados com as nossas coisas que nem conseguimos ver a lagrima no olho daquele ao nosso lado. Não paramos tempo suficiente e paramos de falar o tempo suficiente para ouvir o clamor do coração do nosso irmão, ou de sentir que ele/ela está se afastando de Deus e se cedendo ao inimigo. Como podemos saber o que pedir de Deus em favor do nosso irmão se não vigiarmos o que passa entre nossos companheiros de luta. 

                Persistir é não desistir em nossa fé que há quem ouve nossa oração e que sua provisão é sempre o melhor.  Deus é glorificado por meio de oração persistente. Jesus falou disso para seus discípulos em Lc 18:1-8. Ouvi uma boa frase que diz: “Deus nunca atrasa, nunca chega adiantado mas chega sempre na hora certa”.

                Jesus é nosso exemplo nessa área:  “Simão, Simão, Satanás pediu vocês para peneirá-los como trigo. Mas eu orei por você, para que a sua fé não desfaleça. E quando você se converter, fortaleça os seus irmãos”. Lc 22:31-32

                Nossos irmãos em muitos casos estão sendo peneirados pelo inimigo, alguns estão enfraquecendo e outros caindo. Temos que persistir em orar por eles, que eles voltem a estar em pé e, como Pedro, vir a ser uma bênção mais uma vez na Igreja do Senhor Jesus.

 

6.       PEDE AOS SEUS COMPANHEIROS POR MAIS RECURSOS QUE NECESSITA PARA CUMPRIR A MISSÃO.

                Já que cada soldado tem um rádio, podemos pedir a eles por socorro e ajuda do grande oficial. Podemos pedir por qualquer coisa, nada é pequeno demais nem grande demais. Mas, podemos aprender sobre prioridades nos nossos ministérios pessoais neste pedido de oração de Paulo aqui. Os pedidos de Paulo se relacionam principalmente com seu lugar na batalha espiritual. Quando nós pedimos por nós mesmos devemos pedir principalmente de acordo com aquilo que precisamos para batalhar bem e sermos vitoriosos.

a.       Fidelidade. Paulo pede que a mensagem, a Palavra, seja dada a ele para que ao abrir da sua boca outros venham a conhecer o Evangelho de Jesus Cristo. Ele entendia que seu lugar na batalha era principalmente de proclamar o Evangelho, e ele sabia que fidelidade em pregar o Evangelho não se originava nele mesmo mas em Deus. Ele queria que outros ouvissem a Palavra de Deus de forma fiel ministrada pelo Espírito e não qualquer coisa que ele inventasse e pensasse. Depois Paulo fala de pregar corajosamente “permanecendo nele”, isto é permanecendo no Evangelho. Não há o que pregar a não ser a mensagem que vem de Deus. O que você precisa da parte de Deus para fielmente cumprir o ministério que Ele deu para você? Você sabe o ministério ou os ministérios que ele deu para você? Você sabe onde você se encaixa no exército de Deus, com quais dons que Ele lhe capacita? Independente se é no evangelismo, no ensino, no serviço, na generosidade, pessoas precisam ver e ouvir Jesus em nós. Para sermos fieis precisamos que as palavras nos sejam dadas, que a força nos seja dada da parte de Deus para que outros experimentem o Evangelho por meio das nossas vidas (tanto dentro da igreja quanto fora).

b.      Coragem. A segunda coisa que Paulo pede é por coragem. Paulo estava preso em correntes neste momento. Sabemos que em vários momentos Paulo sofreu. Ele foi espancado, apedrejado, e privado de todo tipo de conforto simplesmente por pregar o Evangelho (2 Cor 11:23-29). Qualquer um andaria com medo. Qualquer um sentiria a tentação de optar pelo caminho mais fácil. Talvez, na carne Paulo clamava pelos confortos e privilégios que tinha na sua vida fácil no judaísmo. Mas, ele entendia para batalhar bem e permanecer firme ele precisaria de uma coragem sobrenatural.

Muitas vezes o que mais pega para nós no desempenho do nosso ministério é o medo. Não é a ignorância. Não é a falta de preparo. Nem é falta de oportunidade. É medo. Damos muitos nomes para o medo. Nós o chamamos de constrangimento, vergonha, que “fiquei intimidado” diante da situação, ou que “não levo jeito”. Olhamos ao nosso redor na igreja, na reunião de família, no serviço, na sala de aula. Nós vemos as faces, e imaginamos as reações. Diante disso ficamos calados. Talvez, seu dom é generosidade é você opta pela segurança de ter uma poupança maior. Talvez, seu dom é serviço mas teme o que as pessoas podem falar se você se oferecer. Talvez, você precisa falar do Evangelho para alguém mas sabe pode pegar mal para você. Como poderemos exercer nosso ministério? Como vamos batalhar bem para a glória de Deus? Vire para seu companheiro e fala, “pegue seu rádio e pede por coragem por mim para que eu fale/faça com coragem como me cumpre fazer”. Precisamos pedir o que precisamos para cumprir nosso papel na batalha espiritual.   

 

CONCLUSÃO:

                A oração é o melhor recurso que temos para nossa comunicação com Deus, ela é o nosso radio comunicador. Paulo não viveu o nosso tempo, mas com certeza, teria colocado a oração no conjunto da armadura que Deus nos deu.

                Este é um bom tempo para usarmos nosso radio da oração. Orar pela salvação de pessoas em nossa região e em todo o mundo, orando por Missões, contribuindo em nossa campanha e indo, evangelizer pessoas. Que Deus te abençoe ricamente.

 

OBS: Baseado em ideia de Jeremiah Davidson com acréscimos.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *