Efésios 2.1-10 – O Melhor Presente de Deus

EFÉSIOS 2.1-10

1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,

2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;

3 entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.

4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou,

5 e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, —pela graça sois salvos,

6 e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus;

7 para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus.

8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;

9 não de obras, para que ninguém se glorie.

10 Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.

Grande ideia: O testemunho do cristão é o livramento do seu passado, a sua condição presente e sua esperança e obra futura.

INTRODUÇÃO:

 

                O capítulo 1 de Efésios nos mostrou como aquele é salvo por Jesus já foi abençoado com toda sorte de bênçãos nos lugares celestiais. Naquele capítulo, Paulo afirmou que somos escolhidos, adotados, redimidos em Cristo. Ele então encerra o capítulo 1 orando pelos cristãos. Na sua oração, ele pediu para que os olhos do nosso coração fossem iluminados para vermos “qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder” (18,19);

                Esse maravilhoso poder que está à nossa disposição foi o mesmo que Deus usou para ressuscitar a Jesus Cristo. Ou seja, é algo além de nossas expectativas e mais do que podemos imaginar. Agora, Paulo continua a dizer, no capítulo 2, como este poder tem sido usado a nosso favor.

                O capítulo 2.1-10 pode muito bem parecer com um testemunho pessoal. Daqueles que todo crente faz, contando como era sua vida no passado, como foi seu encontro com Jesus e como está sua vida hoje. Paulo faz um resumo de como deveria ser o testemunho pessoal de todos aquele que crê em Cristo e foi salvo por Ele. Pois a salvação é o melhor presente que recebemos de Deus. Das coisas que recebemos de Deus, não há nada que possamos comparar com ela, nada é maior ou melhor que sermos salvos e termos esta garantia de morar eternamente com Cristo no céu.

                Como um testemunho de alguém que recebeu o presente da salvação, o texto nos apresenta 3 fases que passamos na vida cristã:

  1. 1.O LIVRAMENTO DO NOSSO PASSADO. (v.1-3)

1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,

2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;

3 entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.

                Paulo começa lembrando aqueles irmãos que Deus lhes deu vida por meio de Jesus Cristo, quando estavam mortos nos delitos e pecados. Nestes primeiros versos, Paulo mostra como o pecado age contra nós. O pior de tudo é que o pecado não é uma escolha do ser humano, não é uma doença que alguém tem e outros não. O pecado é um estado em que o homem se encontra, é a sua condição natural, desde sua gestação, como afirmou Davi, “em pecado me concebeu minha mãe”. E este pecado, segundo Paulo é terrível. Vejam o que acontece conosco por causa do pecado:

  1. a.O homem está morto: (v.2.1) “estando vós mortos nos vossos delitos e pecados – Aqui é preciso entender que esta morte não é aquela que nos leva para o cemitério. O homem está morto em seus pecados, mesmo que esteja vivo fisicamente. O homem morto no pecado, está vivo fisicamente e pode ser uma boa pessoa, ele pode ser bom pai, bom filho, boa esposa. Ele pode ser responsável, ele pode até ter uma vida moral aprovada. O homem pecador pode até fazer o bem aos outros. O que Paulo está dizendo desta condição é que o homem sem Cristo está morto para Deus. É incapaz de amar a Deus, de compreender as coisas espirituais. Este homem pecado não pode fazer nada para agradar a Deus. Assim como um cadáver não corre, não come, não anda. A pessoa morta espiritualmente não demonstra interesse às coisas espirituais, não tem apetite espiritual para buscar e amar a Deus. Ele não tem prazer em Deus. Ele está morto. Em Romanos 6.23 Paulo afirmou que o salário do pecado é a morte. Pastor Hernandes D. Lopes, afirma que o incrédulo não está doente, mas morto. Ele não precisa de restauração, ele precisa de ressurreição, de nova vida. Mas há outra situação em que o homem se encontra por causa do pecado:
  2. b.O homem é desobediente. (v.2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência) Esta é a outra condição em que o incrédulo se encontra. Se você olhar o texto, vai observar as 3 forças que conduzem o homem a desobediência: o mundo, o diabo e a carne. O mundo neste texto é aquele sistema que pressiona as pessoas a viverem como eles vivem. (Rm 12.2). Tiago 4.4 afirmou que quem é amigo do mundo é inimigo de Deus. Foi John Stott quem afirmou que Sempre que os homens são desumanizados pela opressão política, econômica, moral e social, vemos a ação do mundo. Trata-se de uma escravidãoAlém do mundo, o diabo leva os homens à desobediência. Desde o Éden, o diabo tem conduzido pessoas a desobedecerem a Deus. Ele é um inimigo invisível, mas real. A Bíblia tem várias palavras sobre ele, ela nos mostra que ele é violento como um dragão, que é venenoso como serpente, ruge como leão e se apresenta, enganando, como se fosse um anjo de luz. Mas lembrem-se, Jesus afirmou que ele veio roubar, matar e destruir. Por fim, a carne também nos leva a desobediência. Não é o corpo ou a comida, mas a carne aqui se refere à nossa natureza caída. Natureza que recebemos desde o nascimento e que deseja controlar nossa mente e nosso corpo, conduzindo-nos para a desobediência. Por isso é bom lembrar de Jeremias 17.9, que diz que o nosso coração é enganoso. O mal, disse Jesus, procede do nosso coração.
  3. c.O homem é depravado. (v3. entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos). O homem não convertido vive para agradar a vontade da carne e os desejos do pensamento. O homem age de forma pecaminosa, por que seus desejos, suas intenções são pecaminosas. Pastor HDL, diz que o “homem anda com o pescoço na coleira do diabo e no cabresto do pecado”. Todas as áreas da vida foram afetadas pelo pecado. Razão, emoção e vontade. Este homem pode fazer coisas lindas e maravilhosas, mas não o faz com o sentimento de que faz para glória de Deus, nem por ser grato pela sua salvação.
  4. d.O homem está condenado. (v.3) e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. É a Bíblia dizendo que o homem sem Jesus é, por natureza, filho da ira, filho da desobediência. A pessoa sem Jesus é condenada (João 3.18). A ira de Deus é sua reação pessoal frente ao pecado, à nossa rebelião contra ela, à qualquer ação que lute contra sua santidade. Quem vive debaixo da ira de Deus terá de suportar na eternidade o inferno, a prova do furor do Deus santo e todo poderoso.
  1. 2.A NOSSA CONDIÇÃO PRESENTE. (4-9)

4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou,

5 e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, —pela graça sois salvos,

6 e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus;

7 para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus.

8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;

9 não de obras, para que ninguém se glorie.

                A partir do verso 4, Paulo faz um contraste entre o que éramos por natureza e o que somos hoje pela misericórdia e graça de Deus. Se antes estávamos mortos, agora somos ressuscitados para uma nova vida. Deus nos deu vida em Jesus.

                Nesta porção, há 4 verdades maravilhosas a serem destacadas:

  1. a.Deus nos amou. (2.4). Deus é essencialmente amor. Amor faz parte do que ele é. E quando este amor se refere a nós, ele se manifesta pela graça e pela misericórdia. Paulo usou 4 palavras para se referir à motivação de Deus em nos salvar por meio de Cristo. Misericórdia, amor, graça e bondade. Deus demonstrou tudo isso por meio de Cristo, lá na cruz no calvário.
  2. b.Deus nos ressuscitou. (v.5) estávamos mortos, mas ele nos deu vida. Deus realizou em nós uma poderosa ressurreição espiritual por meio do poder de seu Espírito Santo. Ao crermos em cristo, somos salvos, passamos da morte para a vida.
  3. c.Deus nos exaltou. (v.6) nos ressuscitou e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus. Não só fomos ressuscitados, saímos da sepultura, mas também fomos exaltados. Agora nos assentamos com Cristo nas regiões celestiais acima dos principados e potestades. Lembra de 1.20,21, em que Cristo foi colocado acima de todos os poderes espirituais? Sim, agora o que aconteceu com Cristo, também aconteceu com você por ter crido nele como seu senhor e salvador.
  4. d.Deus nos guardou. (v.7-9) Ao nos salvar, Deus estabeleceu seu propósito, sua meta principal, nos fazer viver para sua glória. É aqui que precisamos entender bem como afirmou HDL, que “a salvação é um presente e não uma recompensa”. Não somos salvos pelo que somos ou pelo que fizemos, mas pelo que Cristo é e pelo que ele fez. Nossa salvação é presente. É pura manifestação da graça de Deus. Por isso Paulo enfatiza: “não vem de vós, é dom de Deus”; e “não vem das obras, para que ninguém se glorie”. A salvação é pela graça de Deus, mas é necessário a nossa fé. A questão aqui não é qualquer fé, mas fé em Cristo. Não é fé no pai, nos santos, em si mesmo, no trabalho, mas somente e exclusivamente em Cristo. Isto nos leva ao próximo passo, a nossa esperança futura.
  1. 3.A NOSSA ESPERANÇA FUTURA. (V.10)

10 Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.

                A palavra feitura vem do grego poiema, que pode ser entendido como poema. Em Cristo nos tornamos uma obra de arte de Deus. John Stott diz que Deus está criando uma nova sociedade conosco. Somos um novo povo. Uma nova criação. Não fomos nós quem nos criamos, foi Deus que fez isto, por meio de Cristo.

                Deus ainda está trabalhando em nós, ele está escrevendo nossa história. Ele está dia após dia, escrevendo os capítulos de nossa história, para não somente nos levar para a glória eterna, mas também nos fazer parecidos com Jesus, o Rei da glória.

                Em Romanos 8.29, Paulo afirmou que Deus nos predestinou para sermos conforme à imagem de seu filho. Deus ainda está trabalhando em nós, os que cremos em Cristo. A salvação não é o fim da obra de Deus, é apenas o início. Deus trabalha em nós para depois trabalhar por meio de nós. Deus trabalhou Moisés por 80 anos, antes de usá-lo por 40 anos. Deus trabalhou em José por 13 anos, antes de leva-lo para ser tornar governador no Egito.

                Deus está trabalhando em você. E ele está fazendo isso para poder trabalhar através de você. Paulo disse que fomos criados em Cristo Jesus para boas obras preparadas por Deus para que andássemos nelas (v.10). Fomos salvos para trabalhar. As obras são o resultado da nossa salvação. “John Stott é pertinente quando diz que antigamente andávamos em “transgressões e pecados” nos quais o diabo nos prendera; agora andamos nas “boas obras”, conforme Deus eternamente planejou que fizéssemos”.

                As obras que são resultado da salvação têm duas características: são boas, e são planejadas por Deus. Deus tem um plano que podemos realizar nesta vida.

APLICAÇÕES:

  1. 1.O testemunho do cristão é o livramento do seu passado, a sua condição presente e sua esperança e obra futura.
  2. 2.No passado estávamos mortos. Quem não tem Cristo continua morto, longe de Deus, condenado ao inferno, vivendo desobediente e debaixo da ira de Deus. Se esta é sua condição, você precisa de Jesus com urgência.
  3. 3.Hoje, o crente é ressuscitado em Cristo, tem nova vida, e é exaltado, pois foi nos dado o direito de nos assentar com Cristo nas regiões celestes.
  4. 4.Mas o nosso futuro ainda está sendo escrito. Temos obras a realizar para ficarmos mais parecidos com Jesus e glorificarmos ao Senhor.

O que você fará com tudo o que aprendeu hoje?

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *