Tito 1.5-9 Qualidades da Liderança da Igreja

QUALIDADES DA LIDERANÇA DA IGREJA

Tito 1.5-9

5 Por esta causa, te deixei em Creta, para que pusesses em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade, constituísses presbíteros, conforme te prescrevi:

6 alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados.

7 Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância;

8 antes, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si,

9 apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem.

 

GRANDE IDEIA: Os líderes da igreja devem ser qualificados para este trabalho.

 

                Em 2004, eu assumi interinamente a liderança de uma igreja como seu pastor. A situação estava muito complicada, o pastor anterior tinha causado muitos danos à igreja. Ninguém queria trabalhar na igreja naquele ano. Na eleição da nova diretoria, um homem se levantou e disse: “A igreja há de convir que não há nenhuma pessoa mais capacitada do que eu para a vice-presidência da igreja”. Contestei dizendo que a igreja tinha um pastor, e que qualquer pessoa disposta a aprender, este pastor estava disposto a ensiná-la. A eleição ocorreu com dificuldade, outras pessoas foram eleitas e aquele irmão sequer foi indicado. 8 meses depois, aquele irmão foi desligado do rol de membros da igreja por abandono e indisciplina.

                Este episódio mostra que, nem sempre as pessoas que aparentemente se mostram como líderes noutras áreas da vida, são líderes espirituais capazes. A igreja precisa de liderança saudável, comprometida com Cristo. Gente qualificada para o trabalho, pois existem muitos desafios à igreja, muitos perigos que a igreja fica exposta, que somente uma liderança modelo pode fazer diferença.

                Os líderes da igreja devem, sem dúvida, ser qualificados para este trabalho. Paulo também viu perigos nas igrejas de Creta. Os perigos muitas vezes estavam dentro da própria igreja, gente que se desviara do caminho e que tentava desviar outros. Tito era o homem de Deus naquele lugar e orientado pelo apóstolo Paulo, conforme o verso 5, tinha a missão de colocar as coisas em ordem e livrar a igreja destes homens perigosos. Para isto, precisava nomear pastores e liderança firme e capacitada naquelas igrejas. Nesta porção, temos as qualidades que estes homens deveriam possuir. Que qualidades são estas necessárias aos líderes da igreja? Vamos ver agora:

 

1.       QUALIFICAÇÕES FAMILIARES:

6 alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados.

 

                A primeira das qualificações que os líderes da igreja (pastores e demais líderes) devem possuir está relacionada com sua vida pessoal e familiar. Paulo entende que se alguém quer ser pastor ou líder numa igreja, tal pessoa deve, em primeiro lugar, ser pastor e líder de sua própria casa. Sua vida deve ser, na linguagem do apóstolo, irrepreensível. E esta condição começa, antes de tudo na sua própria casa. Assim, Paulo diz que o pastor e os demais líderes da igreja devem ser irrepreensíveis como líderes de suas famílias. Irrepreensível é uma palavra que significa alguém que não pode ser repreendido.

a.       Marido de uma só mulher – em primeiro lugar, Paulo diz que pastor ou líder espiritual seja marido de uma só mulher. Existem algumas considerações a serem feitas aqui. Há quem defenda que ser marido de uma só mulher signifique apenas que ter duas mulheres ao mesmo tempo.

Mas a Bíblia não reconhece um segundo casamento de pessoas que estão divorciadas. Segundo Paulo Romanos 7, apenas os viúvos podem ser casar novamente. Assim, o texto está informando que o Pastor e a liderança da igreja não podem ser pessoas recasadas, nem adúlteras. Eles devem ser modelos de vida para os demais. Não podem ser repreendidos porque deixaram seus casamentos afundarem.

 

b.      Que tenha filhos crentes que não sejam desobedientes (insubordinados) e que não sejam acusados de vida descontrolada (dissolução). A ideia é que o pastor e os demais líderes precisam cuidar de sua família. Os filhos do pastor e da liderança da igreja que forem crentes, precisam ser educados a viverem de acordo com a vontade de Deus, de acordo com os ensinos das Escrituras.

                É fato que nem sempre nossos filhos são convertidos. Mas os que forem salvos devem agir segundo a Bíblia, pois se pressupõe que os pais os ensinem e eduquem segundo a Palavra de Deus.

 

 

 

 

2.       QUALIFICAÇÃO ADMINISTRATIVA E RELACIONAL

7 Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância;

8 antes, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si,

9 apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem.

 

                Dentro das qualificações que Paulo repassou a Tito na escolha dos candidatos à liderança da igreja, estão as qualidades referentes ao modo de vida social e administrativa do obreiro. Para todas as qualificações, Paulo entender que a liderança tem que ser modelo. E, mais uma vez, ele usa a palavra “irrepreensível”. Agora, além de ser irrepreensível, ou seja, de não poder ser repreendido como pai de família e marido, Paulo continua dizendo que o líder deve ser irrepreensível como despenseiro de Deus, ou seja, como administrador da igreja de Deus. Ele faz no verso 7 uma lista de coisas que o líder não deve ser ou fazer, e faz no verso 8 e 9 uma lista de coisas positivas, que ele deve ser ou fazer, vejamos:

 

2.1. Características a serem evitadas:

a.       Não arrogante – arrogância é algo que não deve existir na vida do crente, muito menos na vida do líder. Arrogância é o mesmo que soberba – é alguém que sente prazer em si mesmo. Quem é assim está pensando apenas na sua opinião, nos seus direitos e nos seus interesses, esquecendo-se dos demais. Os líderes espirituais da igreja não podem ser assim.

b.      Não irascível – ou iracundo; este é aquele que tem uma irritação crônica. E aquela pessoa que ira propositalmente, que mantém a ira no coração e não quer retirá-la.

c.       Não dado ao vinho – A palavra grega paroinos indica alguém que bebe muito, mas também qualquer pessoa que, mesmo sóbria age como se fosse um bêbado. Quem é assim não pode ser líder na igreja.

d.      Não violento ou não espancador – Parece que havia alguns líderes de igreja no passado que espancavam os crentes que erravam.  A palavra, portanto, tende a dizer não apenas a violência física, mas também a violência nas palavras. Sabendo o que e como dizer, o que e como fazer, sem agredir ninguém.

e.      Não cobiçoso de torpe ganância (lucros desonestos) – A palavra diz daquele que não se preocupa com os meios utilizados para ganhar dinheiro, desde que ganhe sempre. Os cretenses eram famosos por esta falta. Segundo Barclay, “Os cretenses consideravam os lucros materiais como muito mais importantes que a honestidade e a honra; não lhes importava quanto lhes havia custado seu dinheiro. O cristão sabe que há coisas que custam muito. O homem cujo único fim na vida é acumular bens materiais, deixando de lado como o faz, não está preparado para ser funcionário da Igreja cristã”.

                Mas se havia coisas que o líder da igreja não devia fazer, há coisas boas que ele deve demonstrar e fazer. Vamos vê-las.

 

2.2. Características a serem buscadas:

a.       Qualidades perante outras pessoas:

a.       Hospitaleiro – no original, a palavra tem a ideia de alguém que ama os estranhos. É que nos tempos de Paulo, as pousadas eram caras, sujas e imorais. O cristão que viajasse precisaria, sem dúvida, da ajuda da casa de um irmão.

b.      Amigo do bem – palavra que pode dar a ideia de amante das coisas boas ou da gente boa. Os dois sentidos se aplicam à liderança da igreja.

b.      Qualidade dentro de si mesmo

a.       Sóbrio – A ideia aqui é capaz de controlar cada paixão e instinto de seu ser.

b.      Justo – Deve dar aos homens o respeito e a Deus a reverencia que lhe é cabida.

c.       Piedoso – santo: é a ideia de alguém que se dedica a Deus, conhecendo pela Bíblia e oração.

d.      Que tenha domínio de si – completo autocontrole, nas palavras e no trato, no comportamento.

c.       Qualidade para com a igreja.

a.       Apegado à palavra fiel, segundo a doutrina bíblica. Deve poder exortar os membros da Igreja. A função do verdadeiro mestre e pregador cristão não é a de levar o homem ao desespero mas sim a de alentá-lo na esperança. Deve poder convencer os que se opõem à fé. Quer dizer lhe responder a uma pessoa de tal maneira que se veja obrigada a ver e admitir seus erros.

 

CONCLUSÃO:

                Paulo apresentou qualificações indispensáveis ao pastor e aos demais líderes da Igreja. Mas qual era o seu propósito com tudo isso? Que o pastor e seus auxiliares tivessem poder para exortar/ensinar pelo reto ensino e também convencer os que contradizem.

                Pastor Hernandes Dias Lopes disse que estas qualificações nos ajudam a separar identificar quem são pastores e quem os lobos.

                Em Creta, homens com intenções ruins tentavam espalhar falsas doutrinas nas igrejas. Eles eram o perigo de dentro da congregação. Gente falsa, fingida, membro da igreja, mas distante da verdade da Palavra de Deus.

                Por isso, os líderes da igreja devem ser qualificados para este trabalho de liderança para proteger e cuidar da igreja de Jesus.

                Oremos pelos pastores e líderes de nossas igrejas. Para que tenham as qualidades bíblicas e se mostrem como pastores do rebanho de Deus e não como lobos devoradores. Deus nos proteja e nos abençoe.

QUALIDADES DA LIDERANÇA DA IGREJA

Tito 1.5-9

5 Por esta causa, te deixei em Creta, para que pusesses em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade, constituísses presbíteros, conforme te prescrevi:

6 alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados.

7 Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância;

8 antes, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si,

9 apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem.

 

GRANDE IDEIA: Os líderes da igreja devem ser qualificados para este trabalho.

 

                Em 2004, eu assumi interinamente a liderança de uma igreja como seu pastor. A situação estava muito complicada, o pastor anterior tinha causado muitos danos à igreja. Ninguém queria trabalhar na igreja naquele ano. Na eleição da nova diretoria, um homem se levantou e disse: “A igreja há de convir que não há nenhuma pessoa mais capacitada do que eu para a vice-presidência da igreja”. Contestei dizendo que a igreja tinha um pastor, e que qualquer pessoa disposta a aprender, este pastor estava disposto a ensiná-la. A eleição ocorreu com dificuldade, outras pessoas foram eleitas e aquele irmão sequer foi indicado. 8 meses depois, aquele irmão foi desligado do rol de membros da igreja por abandono e indisciplina.

                Este episódio mostra que, nem sempre as pessoas que aparentemente se mostram como líderes noutras áreas da vida, são líderes espirituais capazes. A igreja precisa de liderança saudável, comprometida com Cristo. Gente qualificada para o trabalho, pois existem muitos desafios à igreja, muitos perigos que a igreja fica exposta, que somente uma liderança modelo pode fazer diferença.

                Os líderes da igreja devem, sem dúvida, ser qualificados para este trabalho. Paulo também viu perigos nas igrejas de Creta. Os perigos muitas vezes estavam dentro da própria igreja, gente que se desviara do caminho e que tentava desviar outros. Tito era o homem de Deus naquele lugar e orientado pelo apóstolo Paulo, conforme o verso 5, tinha a missão de colocar as coisas em ordem e livrar a igreja destes homens perigosos. Para isto, precisava nomear pastores e liderança firme e capacitada naquelas igrejas. Nesta porção, temos as qualidades que estes homens deveriam possuir. Que qualidades são estas necessárias aos líderes da igreja? Vamos ver agora:

 

1.       QUALIFICAÇÕES FAMILIARES:

6 alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados.

 

                A primeira das qualificações que os líderes da igreja (pastores e demais líderes) devem possuir está relacionada com sua vida pessoal e familiar. Paulo entende que se alguém quer ser pastor ou líder numa igreja, tal pessoa deve, em primeiro lugar, ser pastor e líder de sua própria casa. Sua vida deve ser, na linguagem do apóstolo, irrepreensível. E esta condição começa, antes de tudo na sua própria casa. Assim, Paulo diz que o pastor e os demais líderes da igreja devem ser irrepreensíveis como líderes de suas famílias. Irrepreensível é uma palavra que significa alguém que não pode ser repreendido.

a.       Marido de uma só mulher – em primeiro lugar, Paulo diz que pastor ou líder espiritual seja marido de uma só mulher. Existem algumas considerações a serem feitas aqui. Há quem defenda que ser marido de uma só mulher signifique apenas que ter duas mulheres ao mesmo tempo.

Mas a Bíblia não reconhece um segundo casamento de pessoas que estão divorciadas. Segundo Paulo Romanos 7, apenas os viúvos podem ser casar novamente. Assim, o texto está informando que o Pastor e a liderança da igreja não podem ser pessoas recasadas, nem adúlteras. Eles devem ser modelos de vida para os demais. Não podem ser repreendidos porque deixaram seus casamentos afundarem.

 

b.      Que tenha filhos crentes que não sejam desobedientes (insubordinados) e que não sejam acusados de vida descontrolada (dissolução). A ideia é que o pastor e os demais líderes precisam cuidar de sua família. Os filhos do pastor e da liderança da igreja que forem crentes, precisam ser educados a viverem de acordo com a vontade de Deus, de acordo com os ensinos das Escrituras.

                É fato que nem sempre nossos filhos são convertidos. Mas os que forem salvos devem agir segundo a Bíblia, pois se pressupõe que os pais os ensinem e eduquem segundo a Palavra de Deus.

 

 

 

 

2.       QUALIFICAÇÃO ADMINISTRATIVA E RELACIONAL

7 Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância;

8 antes, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si,

9 apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem.

 

                Dentro das qualificações que Paulo repassou a Tito na escolha dos candidatos à liderança da igreja, estão as qualidades referentes ao modo de vida social e administrativa do obreiro. Para todas as qualificações, Paulo entender que a liderança tem que ser modelo. E, mais uma vez, ele usa a palavra “irrepreensível”. Agora, além de ser irrepreensível, ou seja, de não poder ser repreendido como pai de família e marido, Paulo continua dizendo que o líder deve ser irrepreensível como despenseiro de Deus, ou seja, como administrador da igreja de Deus. Ele faz no verso 7 uma lista de coisas que o líder não deve ser ou fazer, e faz no verso 8 e 9 uma lista de coisas positivas, que ele deve ser ou fazer, vejamos:

 

2.1. Características a serem evitadas:

a.       Não arrogante – arrogância é algo que não deve existir na vida do crente, muito menos na vida do líder. Arrogância é o mesmo que soberba – é alguém que sente prazer em si mesmo. Quem é assim está pensando apenas na sua opinião, nos seus direitos e nos seus interesses, esquecendo-se dos demais. Os líderes espirituais da igreja não podem ser assim.

b.      Não irascível – ou iracundo; este é aquele que tem uma irritação crônica. E aquela pessoa que ira propositalmente, que mantém a ira no coração e não quer retirá-la.

c.       Não dado ao vinho – A palavra grega paroinos indica alguém que bebe muito, mas também qualquer pessoa que, mesmo sóbria age como se fosse um bêbado. Quem é assim não pode ser líder na igreja.

d.      Não violento ou não espancador – Parece que havia alguns líderes de igreja no passado que espancavam os crentes que erravam.  A palavra, portanto, tende a dizer não apenas a violência física, mas também a violência nas palavras. Sabendo o que e como dizer, o que e como fazer, sem agredir ninguém.

e.      Não cobiçoso de torpe ganância (lucros desonestos) – A palavra diz daquele que não se preocupa com os meios utilizados para ganhar dinheiro, desde que ganhe sempre. Os cretenses eram famosos por esta falta. Segundo Barclay, “Os cretenses consideravam os lucros materiais como muito mais importantes que a honestidade e a honra; não lhes importava quanto lhes havia custado seu dinheiro. O cristão sabe que há coisas que custam muito. O homem cujo único fim na vida é acumular bens materiais, deixando de lado como o faz, não está preparado para ser funcionário da Igreja cristã”.

                Mas se havia coisas que o líder da igreja não devia fazer, há coisas boas que ele deve demonstrar e fazer. Vamos vê-las.

 

2.2. Características a serem buscadas:

a.       Qualidades perante outras pessoas:

a.       Hospitaleiro – no original, a palavra tem a ideia de alguém que ama os estranhos. É que nos tempos de Paulo, as pousadas eram caras, sujas e imorais. O cristão que viajasse precisaria, sem dúvida, da ajuda da casa de um irmão.

b.      Amigo do bem – palavra que pode dar a ideia de amante das coisas boas ou da gente boa. Os dois sentidos se aplicam à liderança da igreja.

b.      Qualidade dentro de si mesmo

a.       Sóbrio – A ideia aqui é capaz de controlar cada paixão e instinto de seu ser.

b.      Justo – Deve dar aos homens o respeito e a Deus a reverencia que lhe é cabida.

c.       Piedoso – santo: é a ideia de alguém que se dedica a Deus, conhecendo pela Bíblia e oração.

d.      Que tenha domínio de si – completo autocontrole, nas palavras e no trato, no comportamento.

c.       Qualidade para com a igreja.

a.       Apegado à palavra fiel, segundo a doutrina bíblica. Deve poder exortar os membros da Igreja. A função do verdadeiro mestre e pregador cristão não é a de levar o homem ao desespero mas sim a de alentá-lo na esperança. Deve poder convencer os que se opõem à fé. Quer dizer lhe responder a uma pessoa de tal maneira que se veja obrigada a ver e admitir seus erros.

 

CONCLUSÃO:

                Paulo apresentou qualificações indispensáveis ao pastor e aos demais líderes da Igreja. Mas qual era o seu propósito com tudo isso? Que o pastor e seus auxiliares tivessem poder para exortar/ensinar pelo reto ensino e também convencer os que contradizem.

                Pastor Hernandes Dias Lopes disse que estas qualificações nos ajudam a separar identificar quem são pastores e quem os lobos.

                Em Creta, homens com intenções ruins tentavam espalhar falsas doutrinas nas igrejas. Eles eram o perigo de dentro da congregação. Gente falsa, fingida, membro da igreja, mas distante da verdade da Palavra de Deus.

                Por isso, os líderes da igreja devem ser qualificados para este trabalho de liderança para proteger e cuidar da igreja de Jesus.

                Oremos pelos pastores e líderes de nossas igrejas. Para que tenham as qualidades bíblicas e se mostrem como pastores do rebanho de Deus e não como lobos devoradores. Deus nos proteja e nos abençoe.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *