1 Coríntios 14.26-40 PRINCÍPIOS PARA UM BOM CULTO

Texto: 1 Coríntios 14:26-40

26 ¶ Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação.

27  No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou quando muito três, e isto sucessivamente, e haja quem interprete.

28  Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus.

29  Tratando-se de profetas, falem apenas dois ou três, e os outros julguem.

30  Se, porém, vier revelação a outrem que esteja assentado, cale-se o primeiro.

31  Porque todos podereis profetizar, um após outro, para todos aprenderem e serem consolados.

32  Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos próprios profetas;

33  porque Deus não é de confusão, e sim de paz.

Como em todas as igrejas dos santos,

34 ¶ conservem-se as mulheres caladas nas igrejas, porque não lhes é permitido falar; mas estejam submissas como também a lei o determina.

35  Se, porém, querem aprender alguma coisa, interroguem, em casa, a seu próprio marido; porque para a mulher é vergonhoso falar na igreja.

36 ¶ Porventura, a palavra de Deus se originou no meio de vós ou veio ela exclusivamente para vós outros?

37  Se alguém se considera profeta ou espiritual, reconheça ser mandamento do Senhor o que vos escrevo.

38  E, se alguém o ignorar, será ignorado.

39  Portanto, meus irmãos, procurai com zelo o dom de profetizar e não proibais o falar em outras línguas.

40  Tudo, porém, seja feito com decência e ordem.

INTRODUÇÃO:

O culto a Deus deve valorizar a participação de todos, visar a edificação e ser organizado.

                Ao que parece na Igreja de Corinto os ajuntamentos do povo de Deus em culto eram confusos e desorganizados.

                Eles não se preocupavam uns com os outros. Na sua história, como vimos ao longo desta epístola, os coríntios eram muito exibicionistas. Como ali se manifestavam um grande número de dons espirituais, parece que cada um queria se mostrar mais espiritual que outro, e o resultado era uma verdadeira disputa por atenção e autoridade, causando divisão e sérios problemas de relacionamento e pecado dentro da igreja.

                Paulo conclama os coríntios que o mais importante a ser feito é manter em foco o amor a Deus e aos irmãos, em todas as suas ações e palavras. Se o amor fosse realidade na vida daqueles servos de Deus, todo o restante seria feito dentro da vontade de Deus. Mas não era o que estava acontecendo. Por isso, o apóstolo agora escreve algumas orientações que devem ser observadas por eles no culto. Tais orientações ou princípios ainda podem ser observados por nós na atualidade. Foram três os princípios apresentados por Paulo à igreja, quanto ao culto:

  1. 1)O CULTO DEVE VALORIZAR A PARTICIPAÇÃO DE TODOS.

                No verso 26, Paulo inicia uma pergunta: “Que fazer, pois, irmãos?”, com estas palavras Paulo parece iniciar um resumo daquilo que já havia ensinado. É como se perguntasse: “Que lições tiramos de tudo isso?”, conforme salienta F. Davidson.

                Segue-se aqui uma sequencia de ações que ocorriam no culto da igreja em Corinto: “um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação”.

                Uma reescrita deste verso nos daria uma ideia do culto deles. Um tem salmo; poderia ser uma canção; outro, doutrina, poderia se referir à algum ensinamento; este traz revelação – a ideia é a de expor algo que os outros não conheciam; aquele, outra língua, ou seja, alguém estava trazendo uma mensagem numa linguagem desconhecida, era preciso alguém que, conhecendo tal língua, pudesse interpretá-la.

                Assim, vemos que o culto consistia de música, ensino, pregação expositiva, e assim por diante. O que acontece é que isto era feito por todos ao mesmo tempo, gerando muita confusão naquelas reuniões. Por serem crentes carnais, ao que parecem, eles não respeitavam um ao outro. Se alguém ensinava algo novo, outro queria fazer valer o que era sua ideia ou a sua verdade.

                Ao longo da história, tem-se considerado que línguas e profecias, do modo como tem sido relatado aqui, foram dons temporários, e já não se tornam necessários na atualidade. A maior consideração para isto reside no fato de que a igreja primitiva não dispunha das escrituras como nós a conhecemos hoje, e os poucos textos não tinham cópias suficientes para todos. Necessitando assim de uma ação de Deus para manter unidas e funcionais as suas igrejas.

                Mas é fato que todos eram livres para se apresentarem. É fato também que esta liberdade se tornou em confusão, o que veremos daqui a pouco, mas o princípio que podemos guardar aqui é que todos que desejassem, podiam ser úteis na igreja oferecendo aquilo que possuíam e o que sabiam fazer para Deus.

  1. 2)O CULTO DEVE VISAR A EDIFICAÇAO.

                As últimas palavras de Paulo no versículo 26 era que tudo fosse feito para edificação. As músicas, as palavras, as ações, as mensagens, tudo devia ser oferecido uns aos outros visando edificação, crescimento espiritual.

                Paulo estabelece, nos versos 27 e 28, que apenas duas ou três pessoas deviam trazer uma mensagem em outro idioma no culto, e assim mesmo, se alguém conhecesse do que se tratava e pudesse traduzir, caso isto não acontecesse, quem tivesse esta capacidade, deveria estar calado no culto. Falar num culto não visando a edificação da igreja é algo inútil.

                A mesma regra era cabível para aqueles que trariam alguma mensagem nova de Deus, os profetas. Também duas ou três pessoas deveriam trazer a mensagem de Deus e ainda assim, tais mensagens deveriam ser julgadas por outros. Como não existia uma Bíblia para que todos se embasassem nela, era necessário que pessoas mais instruídas pelos apóstolos, nas doutrinas, pudessem analisar se aqueles novos ensinos, eram concordantes com a vontade de Deus.

                Assim mesmo, Paulo sugere que falassem ao mesmo tempo. A regra da boa educação é mantida aqui. Se um fala, os outros ouvem. (30). Ainda aqui, o objetivo é sempre a edificação de todos, como nos mostra o verso 31 – para todos aprenderem e serem consolados.

                Para evitar que pessoas começassem a se sentir tão usadas por Deus que não parasse de falar e não quisesse ouvir, Paulo afirma que este exagero não era cabível, pois toda pessoa pode dominar seu espírito. E Deus não é Deus de confusão, e sim de paz.

                Confusão e brigas não edificam. Se alguém se julga espiritual, mas para isso precisa ofender ou fazer valer suas ideias no grito, tal espiritualidade é questionável.

                Assim, a edificação da igreja é o foco de um bom culto.

 

  1. 3)O CULTO DEVE SER ORGANIZADO

                No verso 40, Paulo deixa claro que em todo culto é preciso observar a decência e a organização. A decência indica ações apropriadas ao momento. A organização ajuda a que realizemos um culto sem confusão, conforme a vontade de Deus.

                Os versículos 34 e 35 são de difícil interpretação. Os que defendem uma tradução literal vão dizer que as mulheres não deve mesmo falar nada num culto público. Alguns acreditam que conforme 1 Coríntios 11.5, as mulheres podiam orar e profetizar num culto.5  Toda mulher, porém, que ora ou profetiza com a cabeça sem véu desonra a sua própria cabeça, porque é como se a tivesse rapada”. Neste texto, não se tem certeza se era num culto público ou em casa. E em 14.34, não fala nada sobre questões como orar, mas a simplesmente ficarem caladas, o que dá a entender que, na minha opinião, as mulheres podiam orar e ajudar na edificação da igreja, mas deviam evitar conversas outras, conversas paralelas, falas sem sentido, sendo preferível que fiquem caladas a se manifestarem sobre algo que não entendem ou conhecem.

                Paulo também relata que esta prática das mulheres orando e falando era nova e só acontecia em corinto, como se eles se achassem melhores que as outras igrejas. No entanto, ele deixa claro que as igrejas não agiam assim. E ninguém em corinto era melhor do que os outros. É o que Paulo deixa claro em verso 36.

                Paulo encerra o capítulo dizendo que se alguém se considerava espiritual, deveria receber sua palavra como um mandamento do Senhor e que, se tal pessoa quisesse ignorar esta verdade, ele também seria mantido na ignorância, ou seja, demonstra que não tem conhecimento.

                Tudo no culto deverá ser feito com decência, de modo apropriado e organizado. Não deixando que a confusão tome conta.

                É com base nestas palavras que entendemos que o culto precisa de regras. Todos podem participar dele, mas de modo organizado e planejado. E não de modo bagunçado, causando confusão e problemas.

CONCLUSÃO:

O culto a Deus deve valorizar a participação de todos, visar a edificação e ser organizado. Assim teremos um culto onde ninguém ficará confuso, todos poderão participar, mas no dia e hora certos, para que não deixemos a impressão de que a igreja é uma bagunça.

Embora nossas práticas cultuais sejam diferentes dos cultos da igreja primitiva, quando os apóstolos ainda eram vivos, sabemos que os mesmos princípios servem para nós ainda hoje.

Todos podem participar cantando, orando ou tendo alguma outra participação no culto, desde que se apresente ao pastor antecipadamente, marque sua participação, para que seja inserido no culto. Deus não é Deus de confusão. Seja como for, toda participação deve visar a edificação dos irmãos e deve ser feita de modo decente, apropriado e organizado.

Deus nos abençoe.

One thought on “1 Coríntios 14.26-40 PRINCÍPIOS PARA UM BOM CULTO

  • Muito bom o estudo otimo …porém uma pequena observação….o Espírito do homem do profeta simmm e sujeito ao profeta……

    Porém o espírito Santo de Deus…não tem domínio algum o homem…..ele por um período um momento até podem o conter ..e claro porém si Deus o resolve fazer algo …ele faz usou a boca da jumenta ..por incredulidade humana……então vamos lá….o João descreve quer o espírito Santo e como o vento sopra e ninguém sabe pra onde ou como vai ou veio …….desculpa pequena observação….no quer si referem ao domínio e sujeição do Espírito……Glória ao SENHOR meu refúgio e minha fortaleza meu socorro em todos os sentidos…

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *