1 Coríntios 13.8-13 – AMOR A PROVA DA MATURIDADE

Texto: 1 Coríntios 13.8-13

 

8 ¶ O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará;

9 porque, em parte, conhecemos e, em parte, profetizamos.

10 Quando, porém, vier o que é perfeito, então, o que é em parte será aniquilado.

11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.

12 Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido.

13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.

 

INTRODUÇÃO:

GI – o amor eterno, a maior das virtudes, é prova de maturidade espiritual.

            Em minhas pesquisas, no desejo de preparar uma mensagem bíblica, consistente que alimentasse o meu coração e depois ao seu que me ouve, encontrei esta ilustração intitulada “o círculo do ódio”. Ela diz assim: “O diretor de uma empresa gritou com seu gerente porque estava irritadíssimo. O gerente, chegando em casa, gritou com a esposa, acusando-a de gastar demais. A esposa, nervosa, gritou com a empregada, que acabou deixando um prato cair no chão. A empregada chutou o cachorrinho no qual tropeçara enquanto limpava os cacos de vidro.

O cachorrinho saiu correndo de casa e mordeu uma senhora que passava pela rua. Essa senhora foi à farmácia para fazer um curativo e tomar uma vacina. Ela gritou com o farmacêutico porque a vacina doeu ao ser aplicada. O farmacêutico, ao chegar em casa, gritou com a esposa porque o jantar não estava do seu agrado. Sua esposa afagou seus cabelos e o beijou, dizendo:

– Querido! Prometo que amanhã farei seu prato favorito. Você trabalha muito. Está cansado e precisa de uma boa noite de sono. Vou trocar os lençóis da nossa cama por outros límpidos e cheirosos para que durma tranquilo. Amanhã você vai se sentir melhor.

Retirou-se e deixou-o sozinho com seus pensamentos.

Neste momento rompeu-se o Círculo do Ódio! Esbarrou na tolerância, na doçura, no perdão e no amor. Se você está no Círculo do ódio, lembre-se de que ele pode ser quebrado. Se alguém te faz algum mal, apenas tome precauções. Alguns perseguem a felicidade, outros a criam”.

            Uma esposa sábia, capaz de amar seu marido, conseguiu quebrar um circulo terrível que estava entristecendo muita gente. Ela conseguiu, com palavras brandas, enfrentar a possível ofensa, e amando, parou algo que poderia tornar-se destruidor.

            Nestes últimos versículos do capitulo 13 de 1 Coríntios, temos as palavras sábias de Paulo a respeito da supremacia do amor. Nestes versos, ele nos apresenta o amor como uma prova de maturidade espiritual.

            Assim, nos ensina que quem ama demonstra maturidade espiritual por 3 motivos:

           

  1. 1.FOCA A ATENÇÃO NAS COISAS QUE PERMANECEM (8-10)

8 ¶ O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará;

9 porque, em parte, conhecemos e, em parte, profetizamos.

10 Quando, porém, vier o que é perfeito, então, o que é em parte será aniquilado.

Paulo inicia o versículo 8 dizendo que o amor jamais acaba. Isto pode nos fazer lembrar o texto de Cantares 8.7 que diz: “as muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios afoga-lo”.

            Assim Paulo admite a eternidade do amor, mas não do amor como é entendido hoje pela nossa sociedade, mas o amor verdadeiro, sacrificial, santo e puro, o amor que demonstra as 14 qualidades que ele havia descrito nos versículos 4 a 7. O amor que é a essência de Deus. Segundo 1 João 4.16 “Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele”.

            Na continuação dos versos, Paulo difere a eternidade do amor da efemeridade dos demais dons espirituais. Enquanto estes não durariam muito, o amor jamais acabaria.

            Uma pessoa madura espiritualmente não vai se vangloriar na existência de seus dons espirituais, por mais espetaculares que sejam, mas vai focar sua atenção no amor a Deus e ao próximo, amor que, como ensina 1 João 3.16, se dispõe a dedicar ou dar a vida em favor dos irmãos.

            Línguas, profecias e ciências ou conhecimentos, desaparecerão um dia. Eram dons necessários à igreja no seu início. Mas chegaria o dia em que tais coisas não seriam mais necessárias. O que é perfeito as inutilizaria por completo. Paulo parece admitir que haja um aperfeiçoamento da vida espiritual, onde as primeiras coisas ou aquelas que não perduram, não serão o foco daqueles que amadureceram espiritualmente.

            Assim, Paulo nos chama para outro ponto importante. Quem ama amadurece espiritualmente e quando começa a focalizar o amor e as coisas mais duradouras da vida cristã, ele vai a um ponto mais alto, e assim demonstra sua maturidade também por outro motivo. Ele:

 

  1. 2.ABANDONA AS PRÁTICAS IMATURAS. (11)

11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.

            No versículo 11, a palavra menino aparece cinco vezes, ela traduz não só a ideia de criança, mas também a ideia de alguém que age sem maturidade, sem juízo próprio de um adulto. Assim tal verso mostra que o cristão maduro difere do menino. Ele não é infantil, ele não age como criança.

            Falar, sentir e pensar parecem palavras relacionadas aos dons citados por Paulo no versículo 8. Falar relaciona-se com línguas; sentir, com a profecia; pensar com a ciência ou conhecimento.

            Para Paulo, muitas vezes estes dons eram utilizados de modo infantil, sem maturidade. Estes eram dons que estavam trazendo muitos problemas na igreja de corinto. Ao invés de abençoar e edificar a igreja e ajudar na salvação de um pecador, o uso indiscriminado destes dons trazia menosprezo, soberba, orgulho e causavam sérios prejuízos espirituais. Assim, Paulo lança sobre os cristãos coríntios o desafio de serem maduros, abandonando práticas imaturas.

            O uso dos dons espirituais de modo correto, pautado no amor, visando crescimento, edificação e salvação, era algo bom. Mas fazer tudo isto sem amor, permitindo que o uso de seus dons cause divisões na igreja, isto é falta de maturidade.

            A maturidade é resultado de uma vida onde o amor verdadeiro é vivido diariamente. A pessoa que cresceu espiritualmente sabe que não pode usar seus conhecimentos ou sua experiência espiritual como meio de mostrar-se melhor, mais espiritual ou mais crente.

            Esta pessoa é diferente. Ele é madura, porque, de acordo com Paulo, deixou de ser menino, acabou com as coisas da infância, e assim, por aprender a amar, tal pessoa, apresenta o 3 motivo que demonstra sua maturidade:

 

  1. 3.EXPERIMENTA CRESCIMENTO ESPIRITUAL. (12-13)

12 Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido.

13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.

            Paulo afirma que pelo amor chegaremos ao conhecimento perfeito. Deixaremos de ser aqueles que veem por espelhos, para sermos aqueles que verão completamente, perfeitamente.

            Estas palavras usadas por Paulo tinha muito mais significado para os coríntios do que para nós. A cidade de corinto era famosa pela construção de espelhos. Naquele tempo, os espelhos não eram de vidro como os nossos, mas eram feitos de metal. A imagem que eles refletiam, no melhor dos casos, era bem distorcida. Assim, Paulo apresenta o olhar no espelho como um olhar em enigma, um mistério, sem perceber facilmente o que se olha.

            A vida cristã que temos aqui ainda está neste nível. Mas todos estamos neste nível, portanto, nosso crescimento espiritual está pautado numa vivência de amor a Deus e ao próximo.

            É o amor que nos conduzirá ao céu e ao aperfeiçoamento. É pelo amor  que conseguiremos alcançar a vida eterna, muito bem ensinado por Jesus em João 17.3 como sendo o conhecimento de Deus, como único Deus, e de Jesus como seu filho único.

            A esperança de Paulo é que no céu, ele conheceria a Deus e a Jesus, do mesmo modo como fora conhecido.

            Para vermos a Deus face a face e conhece-lo como somos conhecidos, será preciso vivenciar o amor.

            Sem amor ninguém chegará àquele dia, porque Deus é amor e só aquele que ama pode ver a Deus. Assim, Paulo apresenta o amor como algo supremo, capaz de nos levar à maturidade espiritual e nos apresentar a Deus.

 

 

 

CONCLUSÃO:

            Descobrimos assim, que o amor eterno, a maior das virtudes, é prova de uma vida de maturidade. Nas palavras de Barclay, comentando 1 Corintios 13.13: “A fé e a esperança são grandes, mas o amor o é ainda mais. A fé sem o amor é fria, e a esperança sem ele é horrenda. O amor é o fogo que acende a fé e a luz que torna a esperança em segurança”.

            Assim, nossa meditação de hoje te convida a amar focando sua atenção nas coisas que permanecem, abandonando as práticas imaturas e experimentando o crescimento espiritual tão necessário a nós mesmos, pessoalmente falando, e também à igreja, pois participaremos da edificação dos outros e, de certo modo, necessário também ao mundo em que vivemos, pois nossa sociedade será impactada com o evangelho, quando os salvos forem maduros espiritualmente.

Deus nos abençoe.

One thought on “1 Coríntios 13.8-13 – AMOR A PROVA DA MATURIDADE

  • O amor se revela
    na escuridão do “eu sou”,
    assim como os fótons,
    ao se revelar…
    se mudam de hora e lugar !
    Definição de amor :
    Por Menor Que Seja,
    “Revela-se” Onde Esteja !
    Deus É Amor !

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *