1 Coríntios 4.1-6 Deus acima de Tudo

DEUS ACIMA DE TUDO

Pr. Joaquim José da Costa Dias

TEXTO: 1 CORÍNTIOS 4.1-6

1 ¶ Vocês nos devem tratar como servidores de Cristo, que foram encarregados de administrar a realização dos planos secretos de Deus.

2  O que se exige de quem tem essa responsabilidade é que seja fiel ao seu Senhor.

3  Mas para mim não tem a menor importância ser julgado por vocês ou por um tribunal humano. Eu não julgo nem a mim mesmo.

4  A minha consciência está limpa, mas isso não prova que sou, de fato, inocente. Quem me julga é o Senhor.

5  Portanto, não julguem ninguém antes da hora; esperem o julgamento final, quando o Senhor vier. Ele trará para a luz os segredos escondidos no escuro e mostrará as intenções que estão no coração das pessoas. Então cada um receberá de Deus os elogios que merece.

6  Meus irmãos, é para instruir vocês que eu tenho aplicado essas lições a mim mesmo e a Apolo. Usei a nós dois como um exemplo, para que vocês aprendam o que quer dizer o ditado: “Obedeça ao que está escrito.” Ninguém deve se orgulhar de uma pessoa e desprezar outra.

INTRODUÇÃO:

                Em nossos estudos da 1 Carta aos Coríntios, temos visto até agora que a Igreja em Corinto precisava corrigir alguns conceitos e barrar alguns comportamentos que traziam sérios prejuízos espirituais. Paulo identificou falta de sabedoria e pouca maturidade espiritual como a causa das divisões e os problemas de comunhão existentes ali.

                Agora, nestes 3 primeiros capítulos, ele enfatizou Deus acima de tudo, e mostrou que os crentes coríntios deveriam valorizar a todos os seus irmãos, fossem líderes ou não, como servos, ministros de Deus.

                Neste capitulo 4, Paulo está encerrando sua análise dos problemas da igreja em Corinto com a ênfase de que Deus é o Senhor da igreja, nós os crentes somos seus ministros, ou seja, seus empregados, seus servos. E estamos todos debaixo de uma só orientação que é a do Espírito de Deus.

                Diante disto, temos nestes versículos mais três lições claras para nossa edificação espiritual:

                Deus está acima de tudo:

  1. 1)Somos seus servos e devemos ser fiéis.

Nas reflexões anteriores, destacamos que Paulo mostrou aos coríntios que um dos motivos das suas divisões era uma má interpretação do ministério cristão. Eles elegiam para si alguns crentes como sendo mais importantes do que os outros. Paulo os corrige, dizendo que todos os crentes, até os que estão na liderança e pregando na igreja, são na verdade, servos do Senhor.

E aqui Paulo apresenta a única responsabilidade que o servo tem: ser fiel ao seu Senhor. Nas versões mais tradicionais da Bíblia, lemos as palavras “que os homens nos considerem ministros e despenseiros”. A palavra ministro foi traduzida de uma palavra grega que significa “um remador de baixa categoria, um remador subordinado” Ou ainda pode ser traduzida como “criado”, quase escravo. A ideia é que todo crente é subordinado a Jesus. E dele recebe as ordens que deve obedecer sem questionamentos, apenas servindo ao seu mestre com obediência.

Despenseiro foi outra palavra utilizada por Paulo para definir os crentes. E a ideia de despenseiro é aquele que cuida ou administra os afazeres de uma casa, como um mordomo ou governanta. Traz a ideia de alguém que tem privilégios, mas que é orientado, ou seja, não pode fazer tudo a seu próprio prazer.

Ser um servo fiel implica em obedecer ao que Cristo nos mandou fazer e fazer da melhor maneira possível, buscando sempre os melhores resultados e sempre se lembrando dele e das suas ordens que devem ser cumpridas.

Lembro-me aqui de uma moça que trabalhou comigo no laboratório da Antiga Casa de Saúde em Itaperuna. A moça havia sido mandada retirar lâminas de vidro de cima da mesa e coloca-las em outro lugar. Ele retirou as lâminas, mas colocou-as na pia. O faxineiro veio, achou que deviam ser jogadas fora e lá se foi todo o trabalho do dia para o lixo. Quando a doutora procurou as lâminas, a moça disse que havia colocado em cima da pia porque achou que ali era melhor, e ouviu uma das piores frases que se pode ouvir de um patrão. “Eu não te pago para pensar, mas para fazer o que eu mando”.

Com certeza Deus não é grosseiro nas suas palavras para conosco, mas Ele também espera que façamos o que Ele nos manda. Que sejamos fiéis em cumprir a sua vontade em nossas vidas, em nossa igreja e no mundo.

  1. 2)Nosso julgamento pertence apenas ao Senhor.

                Se Deus está acima de tudo e dele somos servos, cabe somente a ele o julgamento pelo nosso trabalho na sua obra. Somente Ele pode determinar se o que se faz na liderança da igreja ou na obra da igreja é correto ou errado.

                Nas palavras de Paulo nos versículos 3 e 4 lemos “3  Mas para mim não tem a menor importância ser julgado por vocês ou por um tribunal humano. Eu não julgo nem a mim mesmo. 4  A minha consciência está limpa, mas isso não prova que sou, de fato, inocente. Quem me julga é o Senhor”.

                Nestes dois versículos há verdades bíblicas importantes: 1ª. Ninguém naquela igreja podia julgar o apóstolo pelo modo como pregava ou ensinava. Ele tinha convicção do Senhorio de Cristo sobre sua vida e sabia que suas ações eram conforme a vontade de Deus. Portanto, qualquer julgamento da parte dos homens ele não lhes dava importância. O julgamento que importa é o que vem de Deus. Afinal é a ele que se serve em primeira instancia. A 2ª verdade é que Paulo tinha a consciência limpa. Ou seja, ele tinha convicção de estar agindo na vontade de Deus, e sendo líder da igreja e servo de Deus, somente Deus teria o direito e o poder de julgá-lo, invalidando assim, qualquer julgamento humano.

                Estas verdades devem trazer a nós o respeito e a valorização dos nossos líderes, entendendo que Deus é quem os julga. Não cabe à igreja julgar seus líderes, isso é obra e papel de Deus. Tentar julgar as pessoas quando elas estão desempenhando a obra de Deus é tentar agir como Deus e tomar o lugar dele. A Bíblia até nos permite julgamento dos irmãos, mas quando suas ações diferem do que diz a Bíblia e isto os está conduzindo a ações pecaminosas. Ainda assim, cada pessoa que decidir julgar o outro, precisa estar em paz com Deus naquele quesito. Enquanto em Mateus 7.1 Jesus nos orienta a não julgar os outros, sem antes tirar de nós as ações que nos condenam, no mesmo capítulo, no verso 15 em diante, ele nos manda tomar cuidado com aqueles que se mostram crentes, mas agem como se não o fossem.

                Paulo está aqui afirmando. Tenho minha consciência limpa. Só Deus pode me julgar.

                Como está sua consciência? Limpa diante de Deus? Dele não se pode esconder nada. Lembro-nos de Paulo em Gl 6.7 “Não vos enganeis. De Deus não se zomba. Tudo o que o homem semear, isto também ceifará”.

                A postura certa a ser tomada pela igreja é esperar o julgamento que o Senhor fará algum dia. Pois ele tornará claros as intenções do coração de cada um de nós. Aquilo que está escondido ficará conhecido. Assim Deus irá agir conforme sua vontade para com todos em sua igreja. Estejamos preparados, agindo em obediência.

  1. 3)Todos devem ser valorizados.

                Paulo continua e aqui encerramos nossa meditação, afirmando que todos devem ser valorizados. Ele afirma no final do versículo 5 que cada um receberá de Deus a recompensa que merece.

                E continua no versículo 6 dizendo que ninguém deve se orgulhar numa pessoa e desprezar a outra.

                Todos somos iguais diante de Deus. Seja pastor, seja zelador, seja cantor, seja recepcionista. Todos são iguais. Deus não nos olha pela aparência, nem pelas ações, mas pelas intenções do coração.

                Somos chamados para uma vida de santidade, pois Deus olha o nosso coração. É por isso que Paulo sempre advertia em suas cartas que os crentes começassem a pensar conforme a vontade de Deus. Em Col. 3.2, ele afirmou: “Pense nas coisas lá de cima, onde Cristo está”; em Rom 12.2, ele disse: “Não tomem a forma do mundo, mas se transformem renovando sua mente”.

                São as nossas intenções que estão em Jogo. Qual sua motivação em vir ao templo, em orar, em visitar alguém, em falar algo sobre a igreja ou qualquer membro. Sua motivação está na mira de Deus.

Aqui temos uma lição clara da Bíblia para sua vida: “Obedeça ao que está escrito. Ninguém deve se orgulhar de uma pessoa e desprezar outra”.

Valorize todos na igreja. Todos os que trabalham nesta igreja são servos de Deus e devem ser honrados como tais. Deixe os julgamentos para Deus, pois todos pertencemos a Ele.

CONCLUSÃO:

O que você pode fazer hoje? Analisar se você tem sido fiel ao Senhor cumprindo a vontade dele. Evitar fazer julgamento das pessoas, tomando o lugar de Deus, mas servir a todos e deixar que Deus faça o seu próprio julgamento. E decidir amar e valorizar cada pessoa na igreja, isto inclui a liderança, pois somos todos servos e devemos ser fiéis.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *