1 Coríntios 1.10-17 – Cristo é o Motivo da União da Igreja

Texto: 1 Coríntios 1.10-17

10 ¶ Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer.

11 Pois a vosso respeito, meus irmãos, fui informado, pelos da casa de Cloe, de que há contendas entre vós.

12 Refiro-me ao fato de cada um de vós dizer: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo.

13 Acaso, Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vós ou fostes, porventura, batizados em nome de Paulo?

14 ¶ Dou graças a Deus porque a nenhum de vós batizei, exceto Crispo e Gaio;

15 para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome.

16 Batizei também a casa de Estéfanas; além destes, não me lembro se batizei algum outro.

17 ¶ Porque não me enviou Cristo para batizar, mas para pregar o evangelho; não com sabedoria de palavra, para que se não anule a cruz de Cristo.

GRANDE IDEIA: As divisões na igreja são causadas quando Cristo deixa de ser o foco.

 

INTRODUÇÃO:

                Vimos na semana passada que Paulo, nas suas palavras de saudação à igreja de Corinto, nos ensinou que a igreja é de Deus por meio de Jesus Cristo e é em Cristo que ela cumpre o propósito de sua existência.

                A partir destes versículos, Paulo começa a tratar do problema que motivou sua carta – a divisão na igreja. Ao que parece, pessoas da casa de uma mulher da igreja, chamada Cloé, (11) foram até Paulo e lhe passaram informações sobre os problemas de comunhão enfrentados em Corinto. Era necessário que a igreja redescobrisse Cristo, como fator primordial da sua comunhão e união.

                Assim, há 3 pontos importantes nas palavras de Paulo que devem ser destacados para nossa meditação. São eles;


1. AS MUDANÇAS NA IGREJA SE DÃO PELA OBEDIÊNCIA À AUTORIDADE DE CRISTO.

                Já comentamos que nos primeiros 9 versículos do capítulo, Paulo colocou o nome de Jesus em cada um deles. Agora ele começa a tratar do problema da divisão apontando para a igreja que a solução se dará pelo nome do nosso Senhor Jesus Cristo.

                Era o nome de Cristo que estava em jogo. Uma vez que a igreja pertence a Cristo e é o corpo dele, qualquer divisão que nela ocorra coloca o nome de Jesus em risco de vergonha pública.

                Alertar à igreja para este risco era o mínimo a se fazer. Assim Paulo pede no vs. 10, que “sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental”. Esta frase traduz uma palavra grega versátil, usada com referência ao ajustamento de partes de um instrumento, na colocação dos ossos no lugar feita por um médico, ou ainda no remendar de redes (Mc. 1:19), como também com referência ao preparo de um navio para uma viagem. Ajustamento tendo em vista a união é o apelo”. Paulo esperava que os coríntios compreendessem que na igreja, é preciso que as pessoas estejam unidas, ou o corpo de Cristo será esquartejado.

                Para evitar os problemas, era preciso voltar a atenção para Cristo. Era ele o dono da igreja. A igreja é parte integrante dele. Como membros do corpo de Cristo, os coríntios deveriam seguir sua vontade.

                Para Paulo, a união de mente e parecer, o falar todos a mesma coisa é uma questão de dar a Cristo o seu devido lugar. De reconhecer o senhorio de Cristo, de zelar pelo nome de seu Senhor, e de ser-lhe obediente, admitindo como boa, agradável e perfeita a vontade de Jesus, e submetendo nossa vontade à dele.

                Quando Cristo deixa de ser o foco de alguém na igreja, esta pessoa começa a dizer mais o que ela pensa e o que ela gosta, do que afirmar o que Deus pensa, e do que Deus gosta. Para pessoas, cujo foco não estão em Cristo, em todas as opiniões frases começadas com eu ou meu, são comuns. “O que eu quero, o que eu gosto, eu prefiro, meu jeito, minhas coisas”. Nossos problemas de igreja são sempre causados com frase desse jeito. Como consertar isso? Focando nossas vidas e vontades em Cristo. O que penso, falo ou faço precisa ser conforme a vontade de Cristo e para sua honra e glória.


2. CRENTES SÃO UNIDOS POR CRISTO E NÃO POR PESSOAS OU POR TEORIAS.

                Dos versículos 11 ao 17, Paulo mostra que a fonte da divisão é que pessoas estão se deixando levar por pessoas e por suas ideias. A falta de conhecimento de Cristo fazia com que as pessoas escolhessem para si aquelas que achavam melhores que as outras.

                Havia, pelo menos, 4 grupos distintos que dividiam opiniões na igreja de corinto. O grupo de Paulo, Apolo, Cefas e Cristo. Alguns especialistas pensam que o grupo de Paulo fosse formado por gentios e que talvez quisessem usar da liberdade cristã para serem mais libertinos. O grupo de Apolo, seria um grupo mais intelectualizado e o grupo de Cefas ao que parece duvidava das credenciais de Paulo, preferindo manter o elo com Jerusalém através de Pedro. Aqueles que eram de Cristo desprezavam qualquer ligação com os outros, formando assim um partido isolado.

                Assim faziam existir contendas na igreja. A carne se manifestava e sobrepunha-se à obra do Espírito. (Gál. 5.20).

                Nestes versos quase ouço Paulo dizendo: “você são unidos por causa de Cristo, e não por causa de pessoas ou de suas teorias”. Foi Cristo quem foi crucificado por nós e, é no nome dele, que nós fomos batizados. Somos de Cristo. Somos unidos quando fazemos o que ele manda.

                O comentarista Barclay nos ensina que fazer algo em o nome de alguém é entender que este algo pertence a alguém. Assim, ser batizado em nome de Jesus é dizer que pertencemos a Jesus. Não a pessoas.

                Cada um de nós deve se lembrar desta verdade bíblica. Nossa união está em Cristo e não em nós mesmos. Não em uma pessoa da igreja. Por mais sábia que seja, por mais tempo de casa que tenha. Não são as ideias, a sabedoria de alguém, ou mesmo o poder e autoridade que possuem, mas sim Cristo é o motivo da igreja para toda e qualquer pensamento e ação.


3. CRISTÃOS INSATISFEITOS COM PROBLEMAS ESPIRITUAIS NA IGREJA PRECISAM SE MANIFESTAR.

11 Pois a vosso respeito, meus irmãos, fui informado, pelos da casa de Cloe, de que há contendas entre vós.

                No vs 11, Paulo afirma que pessoas da casa de Cloé (nome feminino) lhe informaram acerca dos problemas que a igreja enfrentava.

                Há dois destaques que precisam ser feitos. Em primeiro lugar, havia pessoas insatisfeitas com os problemas na igreja. Havia irmãos, comprometidos com Deus que estavam tristes que a igreja se dividisse e que, ao que parece, queriam ver uma solução bíblica para o caso. Comentar com Paulo o que estava acontecendo, era reconhecer nele sua função de liderança na igreja, bem como sua capacitação nas Escrituras. Paulo daria uma visão bíblica saudável e movida pelo amor aos irmãos para que o problema fosse solucionado.

                Em segundo lugar, as pessoas da casa de Cloé assumiram um posicionamento em favor da igreja como um todo. Queriam que as coisas fossem solucionadas, mas não se omitiram. Eles falaram com Paulo, e assumiram a autoria das informações.

                Que exemplo! Quantas pessoas procuram o pastor ou liderança da igreja para falar sobre algum problema, mas não assumem o fato diante da igreja! Como é triste que alguém veja um irmão com problema moral, espiritual, mas não assume sua postura de cristão. Contam o problema, mas pedem para não ser identificados. Agem como se fossem cumplices.

                Paulo ouviu as palavras das pessoas da casa de Cloé e ainda colocou estas pessoas na carta. Registrou que as informações que possuía vinham daqueles irmãos. Ao que parece, eles não motivo para se esconder, pois seu interesse era o melhor para a igreja.

                Ao vermos situações pecaminosas na igreja, precisamos nos manifestar, seguindo a orientação bíblica. Indo até a pessoa e tentando resolver, se ela não ouve, convidando mais uma ou duas pessoas para lhe falar, se ainda não resolver, deve levar à igreja. Mas sempre assumindo sua posição e sempre visando o bem das pessoas que precisam de ajuda e correção.

                As pessoas da casa de Cloé demonstraram ter Cristo e sua igreja como foco. Suas ações eram para aperfeiçoar a igreja, o corpo de Cristo e evitar prejuízos espirituais.


CONCLUSÃO:

                Como vimos, as divisões na igreja são causadas quando Cristo deixa de ser o foco. Somente retomando o foco na pessoa de Jesus, podemos ser, de fato, igreja, o corpo de Cristo. Não permitamos que pessoas, sejam quem forem, e sejam quais forem suas ideias, nos conduzam a criar desunião na igreja. Pelo contrário, vamos nos posicionar ao lado do evangelho, nos manifestar e efetuar mudanças bíblicas que enalteçam o nome de Jesus. Que o Senhor Jesus nos abençoe.


{fcomments = id:8}

2 comentário em “1 Coríntios 1.10-17 – Cristo é o Motivo da União da Igreja

  • Prezado amigo Joaquim, exímio expositor da Fiel Palavra de Deus. Deixo meu registro de gratidão por essa série. Como já comuniquei elas tem sido base para uma série que estou pregando em coríntios em nossa congregação.
    Mais uma vez, muito obrigado

    Grande abraço

    • Obrigado pelos elogios, Pr. Francisco. A recíproca é verdadeira. Que Deus continue nos usando na exposição de sua Palavra, visando sempre a glória do Senhor!

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *